Categorias
Tutoriais

Como criar imagens com dupla exposição no Photoshop

No artigo da semana passada prometi que iria postar um artigo falando de Photoshop esta semana, pois bem tai um artigo bem simples sobre Como criar imagens com dupla exposição no Photoshop. Quem viu o post anterior já sabe como é possível fazer fotos com dupla exposição diretamente na câmera, então hoje tomaremos um caminho um pouco mais controlado mas nem por isto menos legal.

Criando dupla exposição no Photoshop

Na real trabalhar com o Photoshop é apenas um opção pois existem apps tão bons quanto ele por aí. Mas por ele ser a referência em edição e imagem é bem provável que ouviremos falar sobre ele durante muito tempo ainda. Muitas coisas no Ps (Photoshop como nos chamamos normalmente) são fáceis de fazer e precisam de poucos clique. Já outras carecem de horas e mais horas de trabalho. Criar uma imagem com dupla exposição não é uma daquelas tarefas que irá te consumir o dia todo, tá mais para us 30 minutos da sua vida apenas.

A primeira coisa a se fazer é escolher as fotos que você gostaria de combinar em sua foto com dupla exposição.

A melhor dica aqui é escolher a foto principal primeiro, a foto que terá maior importância em sua composição. É claro que é sempre bom ter uma boa ideia do tema definido antes de começar a trabalhar, então escolher imagens que contam melhor a história é algo que você sempre deve ter em mente.

Para o tutorial vou escolher esta foto como foto principal da minha dupla exposição:

Girl - dupla exposição no Photoshop

E para compor o restante de minha foto vou usar esta outra imagem.

Street

Recortando no Photoshop

Recortar as coisas o Photoshop tem ficado cada dia mais fácil, e nós hoje vamos precisar de um pouco deste conhecimento. Gosto muito de trabalhar com a ferramenta de seleção e máscaras, quase sempre o trabalho sai facil e rapido. Mas sempre uso uma malandragem antes que me ajuda muito na hora de criar a seleção da imagem.

Esta malandragens é bem simples. Primeiro vamos na guia Canais (channels) e duplicamos o canal com maior contraste, neste caso aqui usarei o canal azul.

Ps Channels

Em seguida usar o filtro de níveis (Levels) para aumentar ainda mais o contraste da foto, fazendo com que a moça fique preta ou quase totalmente preta e o fundo fique branco. Atalho para o Levels é ctrl+l. Caso seja necessário você pode usar o pincel, atalho tecla b, e pintar de preto áreas que pertencem ao que você quer selecionar mais e que não foram tão afetadas pelo controle de Níveis (Levels).

Assim que tiver um grande contraste entre o que você quer selecionar e o fundo da imagem você pode usar algumas das ferramentas de seleção como varinha mágica (Magic Wand) ou selecionar or cores (Color range selection). Por conta do grande contraste entre você consegue selecionar perfeitamente quase tudo.

Agora com a seleção pronta é hora de criar uma máscara em sua imagem, e isto é trabalho super fácil. Para tal basta clicar no terceiro ícone da esquerda para a direita do rodapé da camada. Você também pode criar uma máscara invertida segurando a tecla Alt ao clicar no ícone de nova mascara.

PS levels

Não esqueça de sempre de salvar seu progresso caso algo de inesperado aconteça, e sempre depois de terminar um mascaramento no Photoshop é importante salvar o arquivo.

Dupla exposição com camadas no Photoshop

Agora que você já tem uma camada com o máscara pronta podemos trazer a segunda foto para o jogo. Aqui é muito fácil basta arrastar a segunda imagem para o Photoshop que ela será importada para o arquivo que você está trabalhando. Assim que sua segunda imagem já estiver no Ps vá em opacidade da camada e diminua para cerca de 50%, assim você poderá ver a imagem principal também.

Agora é só posicionar a segunda imagem onde você acha que ela ficará interessante e estamos prontos para começar a criar!

Camadas no Phostohop

Com a segunda imagens posicionada copie o mascaramento da primeira para a segunda imagem. Para fazer isto basta arrastar a máscara de uma imagem para outra com a tecla Alt pressionada.

Mascaramento

Inverta  ordem das camadas, deixando seu objeto principal na primeira camada, e selecione a máscara desta camada clicando nela. Agora o trabalho é fácil, com a máscara selecionada basta usar o pincel (letra b) e ir pintando as regiões onde você quer que a segunda imagem apareça. O ideal é usar uma opacidade baixa no pincel, isto pode ser ajustado no menu superior quando você seleciona a ferramenta. Como estamos pintando um mascara vamos usar apenas as cores preto e branco, assim quando você for pintar uma máscara lembre do seguinte:

  • Pintar de branco na máscara mostra o que está por baixo
  • Pintar de preto na máscara esconde o que está por baixo

Usar uma opacidade baixo no pincel vai te ajudar a criar um ajuste mais fluido, menos abrupto, e o resultado fica bem mais natural.

dupla exposição no Photoshop - Pincel

Finalizando a imagem

Agora que você terminou todo o ajuste na máscara você pode trabalhar com outros filtros como ACR (Adobe Camera Raw), que é uma espécie de Lightroom dentro do Photoshop, para terminar sua imagem. Você também pode mudar um pouco a composição usando a ferramenta nativa de crop, atalho tecla c, para mudar as proporções da imagem. Assim que você terminar basta exportar a imagem pelo menu Arquivo > Exportar. Pronto sua imagem está pronta para conquistar as interwebs.

dupla exposição no Photoshop
Categorias
Tutoriais

Fotografia com dupla exposição na câmera

Se você acha que a manipulação de fotografias apareceu apenas quando o Photoshop foi criado você está muito enganado, dupla exposição na câmera é apenas uma delas. A muito tempo se usam truques para criar fotografias que não existiam. E é claro que tudo isto era feito praticamente na mão e dentro da cabine de revelação. Mas isto é assunto para outro artigo pois hoje o tema é mais simples. E muito fácil hoje em dia com a tecnologia digital conseguirmos criar fotos com dupla exposição na câmera sem precisar ir até o Photoshop ou Lightroom Classic CC.

Mas como nem sempre dá pra pular na água sem saber nadar um pouco vamos antes passar por alguns requisitos básicos.

O que é uma fotografia em dupla exposição?

Fotografia em dupla, ou múltipla, exposição nada mais que é combinar duas ou mais imagens na mesma foto. Não como os composites que fazemos no Photoshop que também são uma forma de juntar mais de uma imagem na mesma foto. A fotografia em dupla exposição é algo que existe desde a era analógica. Podemos obter vários resultados inusitados e artísticos usando este recurso.

Exemplo de foto com dupla exposição na camera

Hoje contamos com câmeras potentes capazes de fazer isso direto na câmera, ou podemos utilizar algum software capaz de de fazer isto.

Como fotografar imagens de dupla exposição com câmeras digitais

É totalmente possível fazer fotos de dupla exposição usando nossas câmeras digitais hoje em dia. Infelizmente não são todas as câmeras que tem esta capacidade, então vale a pena ver se sua câmera dispõe deste recurso antes de continuar. Mesmo que sua câmera não tenha tal recurso não se preocupe você ainda pode usar algum programa para fazer tal manipulação.

Caso tenha o recurso em sua câmera você já está pronto para começar. Aqui estão algumas dicas super úteis para fotografia em dupla exposição:

  1. Pense antes de agir. Penso no que você quer reproduzir com esta foto. Tenha em mente qual conceito da imagem final.
  2. Compor com cuidado. Se você já sabe qual mensagem quer passar é hora de compor as fotos. Não esqueça que sua história será feita por duas fotos.
  3. Use o contraste. Fotografe imagens que tenham algo de bem diferente entre elas. Use uma imagem que seja mais escura e logo em seguida uma que seja bem mais clara.
  4. Experimente. Como aqui o resultado final pode variar muito. Experimentar é a melhor forma de conseguir resultados melhores.
  5. Aprenda a lidar com seu equipamento. Estar familiarizado com sua câmera é algo super útil sempre. E saber onde ficam os limites do seu equipamento irá te ajudar a descobrir se você precisa de uma câmera nova ou não.

Pra quem tem Canon ou Nikon a vida é um pouco mais fácil, já que são as marcas que dominam o mercado profissional. E com isso elas são o padrão a ser seguido. Se você tem alguma outra câmera não se preocupe pois se ela tiver este recurso não será muito diferente.

Fazendo fotos com dupla exposição em câmeras Nikon

Em câmeras da Nikon existem duas formas de se criar imagem de dupla exposição. Na Nikon temos como disparar cada uma das exposição, ou disparar exposição separadas e depois juntá las direto na câmera. Vou usar como referência a Nikon D610 para mostrar os menus onde você precisar para ativar a dupla exposição.

Dupla exposição na câmera - Nikon
Dupla exposição na câmera - Nikon 2
Menu dupla exposição na câmera  Nikon

Vá até o Menu de Disparo Depois até o menu de Múltiplas exposições Aqui no menu você vai encontrar mais de uma opção para trabalhar. No caso da Nikon D610 você pode ligar ou desligar o recurso, você pode escolher o número de exposições, no máximo 3, e definir o funcionamento será apenas para um foto (single) ou para uma série de fotos (series).

Aqui tem uma listinha das câmeras da Nikon que possuem este recurso.

  • Nikon D4S 
  • Nikon D5 CF *
  • Nikon D5 XQD *
  • Nikon D500 *
  • Nikon D5300
  • Nikon D5500
  • Nikon D5600
  • Nikon D610
  • Nikon D7100
  • Nikon D7200
  • Nikon D750
  • Nikon D7500
  • Nikon D810
  • Nikon D810A
  • Nikon D850 *
  • Nikon Z6 *
  • Nikon Z7 *
  • Nikon Coolpix P900

Algumas destas câmeras você só vai encontrar no mercado de usados pois elas foram descontinuadas. Já as câmeras mascaradas com * são os modelos mais recentes da marca.

Dupla exposição na câmera Nikon
Menun cameras Nikon
Menu multiplas exposições cameras Nikon

A segunda forma de fazer fotos com dupla exposição diretamente nas câmeras Nikon é apenas uma sobreposição de imagens no menu de retoque da própria câmera. Primeiro tire normalmente as fotos que você gostaria de sobrepor. Depois vá até o menu de retoque:Depois encontre a opção sobrepor imagem.Escolha a primeira foto que você gostaria de usar e depois escolha a segunda foto.

Embaixo de cada foto você tem um ajuste de ganho, ajuste até conseguir o resultado desejado em suas image. Na miniatura preview é possível ver como sua foto vai ficar.

Fazendo fotos com dupla exposição em câmeras Canon

Para conseguir imagens com dupla exposição usando câmeras Canon os procedimentos são basicamente os mesmo que os das Nikon. Só mudam os locais e alguns nomes dos menus.

Multiplas exposições cameras canon
Menu cameras canon
Menu dupla exposição cameras Canon

Pressione o botão de menu e vá para a 4ª guia Configurações.Vá para as opções múltiplas exposições e escolha ativar.Vá até controle de múltipla exposição onde você terá duas opções, aditiva e media. Use a aditiva para uma compensação de exposição que será adicionada cumulativamente para cada imagem. Já a média aplica automaticamente a compensação de exposição negativa a cada imagem. Experimente e escolha a melhor configuração para cada caso. Defina o número de exposições que serão feitas e o funcionamento será contínuo ou apenas para uma imagem.

Agora é só fotografar, você pode usar o live view para ver as exposições combinadas até o momento.

Algumas das câmeras da Canon capazes de fazer dupla exposição;

  • Canon EOS 1DX
  • Canon EOS 5D Mark III
  • Canon EOS 5DS
  • Canon EOS 5DS R
  • Canon EOS 6D
  • Canon EOS 70D
  • Canon EOS 7D Mark II
  • Canon EOS R

Outras marcas de câmeras

Como nem só de Canon e Nikon se vive, existem outras marcas de câmeras no mercado e muitas delas também podem fazer dupla exposição direto na câmera. Se você tem alguma destas câmeras abaixo procure em seu manual e veja como fazer imagens com dupla exposição.

  • Fujifilm GFX 50R
  • Fujifilm X-T20
  • Fujifilm GFX 50S
  • Fujifilm X-A10
  • Fujifilm X-A3
  • Fujifilm X-A5
  • Fujifilm X-E2s
  • Fujifilm X-T3
  • Fujifilm X-H1
  • Fujifilm X-Pro2
  • Fujifilm X-T100
  • Fujifilm X-T2
  • Fujifilm X100F
  • Fujifilm XF10
  • Pentax 645Z
  • Pentax K-1
  • Pentax K-1 Mark II
  • Pentax K-3 II
  • Pentax K-70
  • Pentax K-S2
  • Pentax KP
  • Pentax Ricoh GR II
  • Sony Alpha A7R III

Dupla exposição usando o Adobe Photoshop.

Também é possível recriar o efeito da dupla exposição usado softwares, o mais famoso deles claro é o Photoshop. O efeito é muito parecido com o efeito criado na câmera, mas existem aqueles que argumentam que o efeito criado pelo programa não é uma dupla exposição propriamente dita, e até certo ponto eu concordo com isto. Mas no fim do dia o que realmente importa é o resultado final.

Estou preparando um tutorial que vai mostrar como fazer dupla exposição usando o Photoshop, então aguenta aí que semana que vem o artigo vai estar no ar e o link vai estar aqui!

Fotografia com dupla exposição: Na câmera vs Photoshop

Se você tem o desejo de usar dupla exposição em seu portfólio aconselho comprar uma câmera que possa te entregar este recurso, é um ótimo caminho. Mas tenha em mente que fazer fotos com dupla exposição diretamente na câmera é algo que requer tentativa e erro até conseguir um resultado aceitável. Os resultados serão mais orgânicos e menos controlados e o nível artístico dependerá de sua imaginação e habilidade com a câmera.

O Photoshop é extremamente poderoso e existem várias formas de se chegar no mesmo resultado. O fato de você ter controle total sobre o que está fazendo torna ele uma ótima para situações onde você não tem muita liberdade no resultado final.

Exemplo de foto com dupla exposição no Photoshop

Existem também vários apps que podem te ajudar a conseguir praticamente o mesmo resultado. Não são de forma alguma tão capazes com o Ps porém podem ser muito mais divertidos e infinitamente mais fáceis de usar.  

Alguns exemplos de tais aplicativos são:

Mais coisas sobre fotografia de múltiplas exposições

Além de usar múltiplas exposições combinadas para criar imagens surreais podemos usar a mesma técnica para criar imagens mais realista. Como é o caso da técnica HDR que usa múltiplas exposições a fim de preservar todos os detalhes da foto.

Nem todas as câmeras são capazes de trabalhar bem em situações onde temos iluminação muito contrastante. Logo podemos usar uma exposição apenas para as partes claras da foto, outra para as partes neutras e um terceira para as partes escuras da foto.

Ao misturar estas 3 exposição teremos uma imagem com alta faixa dinâmica, ou imagem HDR. Podemos usar tanto o Lightroom quanto o Photoshop para fazer isto.  

Meu softwares predileto para trabalhar com imagens HDR é o Aurora 2019 da Skylum ele é absolutamente fantástico para fazer isto. Veja ele em ação aqui.

Você pode baixar a versão trial dele aqui  e caso queira comprar use o cupom de desconto RIXMASCA e ganhe US$ 10,00 off.

Finalmentes

Independente de qual seja sua intenção em usar dupla exposição conhecer uma nova técnica é sempre útil para ter no seu cinto de ferramentas. Usar a técnica direto na câmera ou usando o Photoshop é apenas uma questão de preferência pessoal e sempre vale o esforço no final.

Quando o assunto é faixa dinâmica nem sempre temos para onde correr a não ser o HDR e para isto contamos com grandes ferramentas como o Aurora 2019 hoje em dia.

Se sua ideia é ter imagens mais surreais vale a pena tentar usar dupla exposição para conseguir.

Qualquer comentário ou dúvida você já sabe que fazer né, só escrever aqui em baixo.

Categorias
Skylum Tutoriais

Luminar 2018 – Edição nível intermediário

Como prometido taí mais um vídeo sobre o Luminar 2018, Desta vez uma edição um pouco mais complicada.

Luminar 2018 – Nível intermediário

O Luminar 2018 é um software de edição de imagens concorrente do Adobe Lightroom que tem muitas vantagens sobre o programa da Adobe.

Hoje no Luminar, sim aquela boa alternativa para o Lightroom, vamos fazer uma edição um pouco mais complicada usando mais de um recurso disponível no programa.

Além do fato de poder editar imagens de forma simples o programa também pode trabalhar com máscaras e layers. Tudo isto deixa esta ferramenta muito mais poderosa e capaz de fazer praticamente todos os tipo de edição.

Para quem ainda não sabe o que é o Luminar, ele é uma boa alternativa para quem não quer usar mais o Lightroom.

O programa conta com uma engine de edição de imagens super bacana e é capaz de editar tanto imagens jpeg quanto Raw. Mesmo que você use o Lightroom é interessante ter o Luminar em seu arsenal, pois ele é um ótimo plug-in para os programas de edição de imagem da Adobe.

Este vídeo é parte de uma série onde vou falar sobre a maioria dos recursos do Luminar. E para quem ja frequenta o blog sabe o quanto gosto deste programa.

Por enquanto ele ainda não substitui totalmente o Lightroom na minha, mas de tempo e você vai ver, será umas das melhores opções para se livrar das correntes da Adobe.

Para ver os outros vídeos sobre o Luminar só clicar aqui

Categorias
Dicas de Lightroom e Photoshop Fotografia com celular Tutoriais

Como usar presets no Lightroom Mobile

Se você acompanha o blog a algum tempo sabe o quanto sou ligado ao Lightroom, e com o Lightroom Mobile no celular as vezes as coisas não são tão fácil assim, aí vem a pergunta, como usar presets para Lightroom Mobile?

O Lightroom mobile não tem acesso aos presets igual ao Lightroom Classic CC de computador então muita gente fica confusa em como e porque usar o Lightroom Mobile, principalmente aqueles que gosta de usar presets.

Como usar presets no Lightroom Mobile

Do computador para celular – Método 1

Bem a história é bem simples, se você tem o Lightroom Classic CC no computador é porque você é assinante do pacote Creative Cloud da Adobe.

presets para Lightroom Mobile

E sendo assinante você tem direito de transferir suas fotos entre plataformas diferentes, como do computador para o celular. Sendo assim basta você editar suas fotos no computador e depois sincronizar as mesmas com o celular, assim todas as edições feitas no pc, ou mac, vão estar disponíveis também em seu dispositivo móvel.

O legal disto é que você também pode fazer alteração da foto enquanto estiver no app do Lightroom Mobile e elas vão estar com as alterações feitas quando você voltar ao computador. Assim você pode abrir uma foto no Lightroom Mobile, que já contenha as edições que você gostaria de usar, e simplesmente copiar as edições para uma foto nova.

Simples assim!

É claro que isto isto tem um custo, afinal o Creative Cloud não é de graça. E nem todas as funcionalidades do app do Lightroom estão disponíveis quando você baixe ele gratuitamente da Play Store.

Do computador para celular – Método 2

Uma outra forma de fazer a mesma coisa e também vai te permitir usar os presets do Lightroom Classic CC no Lightroom Mobile, envolve um pouco mais de paciência.

Primeiro você precisa ter instalado o Lightroom Classic CC no computador. Depois você vai fazer todos os ajustes necessários em alguma foto de forma a criar um preset.

Veja no vídeo abaixo como salvar seus presets no Lightroom Classic CC

Depois que você fizer todas as edições que achar necessárias em suas fotos, e salvar o preset, você vai ter que exportar esta a foto com as edições. Não é simplesmente exportar do jeito que estamos acostumados, você vai ter que exportar a foto em arquivo tipo DNG.

No computador!

presets para Lightroom Mobile

Arquivos DNG são na verdade arquivos Raw, só que da Adobe, e quando você exporta uma foto no Lightroom Classic CC em arquivo DNG, o arquivo guarda todas as edições feitas na foto.

Então assim você pode aplicar seus preset preferidos em algumas fotos, exportá-las em arquivos DNG e a mágica vai estar quase pronta. Depois disto feito basta importar as fotos no app do Lightroom Mobile em seu dispositivo móvel, smartphone ou tablet, e terminar o processo.

Depois de exportado os arquivos e copiados para o telefone, basta abrir as fotos, em DNG, no Lightroom Mobile e copiar as edições para qualquer outra foto.

No celular

informacoes da fotos no aplicativo

Para isto basta abrir a foto DNG com as edições feitas no Lightroom Mobile e clicar nos 3 pontinhos no canto direito da tela para abrir um menu.

presets para Lightroom Mobile

Neste menu você poderá copiar as edições de uma foto para outra, basta apenas selecionar a opção copiar edições. Logo em seguida o Lightroom Mobile vai te perguntar quais edições você gostaria de copiar.

opcoes para salvamento do preset

Selecione todas as opções que forem pertinentes para sua edição e clique em OK, agora você pode transferir as edições para uma nova foto! Aí basta escolher uma nova foto em sua galeria de fotos do Lightroom Mobile e fazer praticamente o mesmo processo, só que desta vez clicando em colar configurações.

menu de opcoes do Lightroom Mobile

Assim que você cola as configurações em uma nova foto todos os ajustes que você escolheu para serem copiados já estarão definidos na nova foto no Lightroom Mobile.

controles do  Lightroom Mobile

E pronto é assim o método de como usar presets para Lightroom Mobile, não difícil vai!

Considerações finais

Como nas versões mais recentes do Lightroom Mobile é capaz de salvar presets, basta salvar as edições dos arquivos DNG que você importou e criar um novo preset no Lightroom Mobile. Usando este método você não precisa ligar o computador, editar as fotos e depois sincronizar com o app.

Basta tirar a foto, com o próprio celular, abrir a foto que tenha o preset que você quer usar e copiar as edições para a foto novo tudo direto no smartphone. Infelizmente nem todos os aparelhos têm suporte a arquivos DNG, celulares mais antigos, Apple ou Android, vão ficar na mão.

Mas se você tem um aparelho mais novo com certeza você vai aproveitar este método sem o menor problema. Presets são uma ótima forma de agilizar a edição das suas fotos, e sempre vale a pena ter uns na manga.

Se você acha este processo difícil e não quer gastar com assinatura de um plano da Adobe, minha sugestão é o Snapseed. Ele é totalmente de graça, você pode salvar presets para uso futuro, tem ferramentas ótimas para edição.Talvez o mais chato dele é que pode ser fácil se perder no app, pra quem já está acostumado com o Lightroom. Tem um monte de outros app que uso pra editar as fotos no celular, se tiverem interesse só comentar aqui que eu preparo outros artigos dentro deste tema!

Categorias
Tutoriais

O que é um Stop? E pra que serve!

O que é um Stop? Ele é a mesma coisa que f-stops? Como são medidos? São contados da mesma forma para diferentes ajustes de exposições? São úteis?
Estas são provavelmente as perguntas mais comuns para quem esta começando no mundo da fotografia. E são ótimas perguntas, até porque todos os conceitos de uma boa exposição podem deixar qualquer bem confuso.
Para aqueles que já foram apresentados ao termo a informação de que um Stop pode significar o dobro ou a metade da luz procede.
Mas provavelmente nunca te foi dito como tudo isto funciona em relação aos ajustes de câmera.
Este artigo tem por fim te mostrar como o conceito de Stop serve como uma moeda comum para a exposição, e permite que você a controle totalmente.
E que esta moeda é bem mais simples do que você imagina, por se tratar de uma ferramenta de simplificação de pensamento.

Do começo. O que é um Stop? E pra que serve!

Estou usando o termo “moeda comum” para descrever o que são Stops. E para ilustrar melhor a analogia vamos imaginar que estamos falando de grana.
Se você vende galinhas, eu vendo maçãs, e outra pessoa vende tijolos, como todos nós nos entendemos na de fazermos negocio.
E se a pessoa que vende os tijolos não valorizasse suas galinhas tanto quanto eu?
Com certeza tudo viraria uma grande bagunça. E dai conceito de grana surgiu.
Com este conceito, de moeda comum, aplicado agora todos podemos valorizar nossos itens baseados neles.
E como bem sabemos não é de hoje que dependendo do conceito de grana, pra mais de um aspecto de nossas vidas.
Da mesma forma que entramos em um impasse com tijolos VS galinhas, na fotografia temos um impasse entre o tamanho da abertura VS o tempo do obturador pro exemplo.
Ou como valorizar estes dois em relação a sensibilidade do nosso sensor, ou filme, a luz?
Não é toa que aqui entra o conceito de moeda comum, ou Stops, que vai equilibrar tudo!
Stop fotografia

Esta tudo isto como uma pré condição pra domina sua câmera e controlar sua exposição.
Entender isso é uma pré-condição necessária para dominar a câmera e controlar o processo de exposição.
Esperemos que isso irá ajudá-lo a compreender melhor seus controles de exposição. Primeiro, vamos dar uma breve olhada em cada um deles e mostrar como eles são medidos em paradas. Depois disso, vamos começar a usá-los juntos.

Shutter Speed (Obturador)

A velocidade do obturador é uma medida de tempo. Como você provavelmente já sabe, quando você abrir o obturador, a câmera está recolhendo, recebendo, luz direto no sensor ou filme.
E ver melhor como ele funciona sugiro que leia este artigo aqui;
Stop fotografia

Os segmentos neste gráfico são incrementos de 1 Stop. Novamente, um Stop refere-se a permitir que o dobro da luz entre, ou corte-a pela metade.
Lembre-se de que a velocidade do obturador é uma medida de tempo, então a duplicação do tempo em que o obturador está aberto é a mesma coisa que uma duplicação da luz.
Portanto, por exemplo, um movimento de 1 / 250th de um segundo para 1/125 é uma mudança de um Stop.
Você duplicou o tempo que o obturador está aberto, assim você também duplicou o valor de exposição.
Algo que pode confundi-lo é que sua câmera não altera as configurações (cada clique do seu dial) em incrementos de 1 ponto.
A maioria das câmeras está configurada para se mover em incrementos de 1/3 de ponto. Então, ao invés de passar de 1/250 para 1/125, cada clique do dial em sua câmera irá mover apenas parte do caminho.
E dependendo de como sua câmera esta configurada pode demorar até 3 cliques no dial para chegar a 1 Stop completo.

Aperture (Abertura)

Agora vamos olhar para isso no conceito de abertura. Como você provavelmente sabe, a abertura é o buraco na lente que permite a luz através da câmera, e que ele é ajustável.
Fazendo com que o buraco fique maior você permite que mais luz entre na câmera; E tornando ele menor você permite que menos luz entre.
As medições de abertura podem ser bem confusas. Pra começar, esta medição é realmente o tamanho da abertura em comparação a distancia focal, onde o F de uma lente é razão da distancia focal dividida pela diâmetro da abertura.
Isso faz com que seja uma relação ou figura recíproca, o que significa que quanto maior a abertura menor será a medição e vice-versa.
Em segundo lugar, diferentes lentes têm diferentes valores máximos e mínimos de abertura. Com isso em mente, aqui estão os valores de abertura mais comuns:
Stop fotografia

Novamente, lembre-se de que sua câmera provavelmente está configurada para alterar os valores em incrementos de 1/3 de Stop.
Assim, por exemplo, sua câmera não vai diretamente de f / 5.6 para f / 8.0. Em vez disso, ele provavelmente irá de f / 5.6 para f / 6.3 depois  f/7.1 e então  f / 8.0, enquanto você clica no dial.
Estou ignorando o conceito de profundidade de campo aqui porque não é importante para os propósitos desta discussão.
Tudo o que importa agora é converter essas medições em Stops. Logo, o que fizemos aqui é converter uma medida de tamanho em uma Stops.
Isso significa que podemos facilmente compará-lo com as mudanças de velocidade do obturador como vimos acima. Também seremos capazes de compará-lo com as mudanças no ISO.

ISO

Finalmente, chegamos ao ISO, nosso terceiro controle de exposição. Esta é uma medida da sensibilidade do sensor digital da sua câmera à luz.
Torná-lo mais sensível à luz aumenta a exposição, mais também pode elevar o nível de ruídos  em sua fotos.
E o contrario é totalmente valido, diminuindo o ISO diminui-se a sensibilidade do sensor assim como o nível de ruído.
Aqui estão os valores ISO comuns em incrementos de 1 Stop:
Stop fotografia

Como você pode ver a partir do gráfico acima, a capacidade de mudar ISO é bastante limitada.
Considerando que há 18 paradas dentro da faixa de velocidades comuns do obturador, no ISO existem apenas sete
Hoje no mercado existem câmera que conseguem tem um ajusto de ISO em níveis astronômicos, como ISO 12.800, 25.600 ou até maior.
Porém em sua maioria elas acabam trazendo muito ruído para as fotos, principalmente em ajustes acima de ISO 3.800.
De qualquer forma agora todos os ajustes falam a mesma liga, STOPS, então assim fica muito mais fácil traduzir para cada ajuste o que você precisa.
E diferente da abertura, entender o ajuste do ISO em stops é muito mais simples, logo, se tenho ISO 100 e quero subir um Stop basta colocar em ISO 200, e assim por diante.

Hora da verdade, colocar tudo junto

Agora que você já esta familiarizado com o conceito de Stop para cada ajuste da exposição,  que tal por todo mundo junto.
Agora que nós cobrimos o conceito de paradas para cada um dos três controles de exposição, estamos prontos para falar sobre eles juntos.
A chave para entender aqui é que 1 Stop, é 1 Stop e pronto. Ele valera igual para a abertura, velocidade do obturador ou ISO.
Dito isto, subir um Stop na velocidade do obturador é a mesma coisa que abrir sua abertura em um Stop, que por sua vez é a mesma coisa que aumentar o ISO em 1 Stop.
Mais por que saber o que é um Stop é tão importante?
Bom a resposta é simples, por absolutamente todo vez que você for fotografar você vai ter que ajustar sua câmera. E saber esta regra simples vai te permitir maior controle sobre sua exposição.

Um belo exemplo:

Você quer aumentar a profundidade de campo, e par isto você sabe que precisa de uma abertura menor. Só que escolhendo uma abertura 2 Stops mais estreita isto sua imagem fica  sub-exposta.
Usando o conceito de Stop basta ir até o ajuste do obturador e permite que mais luz entre, ou seja diminuir a velocidade em 2 Stops, e pronto. Só que agora a sua imagem ficou borrada, por conta do shutter muito lento.
Logo, você pode voltar o obturador ao ajuste que estava e usar um ajuste de 2 Stops no ISO para resolver o problema, ou ainda ajustar 1 Stop em cada um deles, obturador e ISO.
Bom é isto ai!
Deixe seu comentário ai embaixo!

Categorias
Fotografia Faça você mesmo Tutoriais

Light painting, como tirar fotos incríveis

Não importa qual carro você dirige, uma muscle car ou um Porshe finamente ajustado, você vai querer fotos bacanas do seu meninão e hoje você vai ver Como usar light painting para tirar fotos incríveis
light painting
 
A razão pela qual uma imagem pintada de luz, light painting, parece tão incrível é porque a luz esta literalmente envolvendo o assunto.
Normalmente vemos fotos de objetos iluminados por apenas um ângulo, e muitas vezes a fonte de luz é o sol, o que pode ser bem maçante.
Além disso usando light painting as reflexões iram dar um ar bem legal quando vistas na lataria do carro.

Do inicio

Qual é o primeiro passo? Limpe o carro! A luz faz com que cada partícula de sujeira e sujeira fique imediatamente visível.
A menos que você está indo para um estilo grungy, você vai querer certificar-se o carro é esta limpo.
Como pintura com luz envolve deixar o obturador da câmera aberto por algum tempo, você também irá precisar de um ambiente escuro, e é lógico que caiba o carro.
O mais indicado é deixar anoitecer e/ou fechar toda sua garagem. Evite ao máximo qualquer luz ambiente.

Sua fonte de Luz

Uma das coisas legais sobre Light Panting é que você não precisa investir milhares ou mesmo centenas de reais em equipamentos para começar.
Literalmente, qualquer fonte de luz pode ser usado, se é uma luz de vídeo profissional ou simplesmente uma lanterna app em seu telefone.
Neste post foi usada um LEDGo Portable Video Light, que é uma luz pequena, mas poderosa que eu pode se segurada com a mão.
light painting
 
 
light painting
Uma desvantagem deste tipo de fonte de luz é que ele lança luz para todos os lugares, incluindo de volta para a câmera.
Se possível, você vai querer encontrar alguma maneira de proteger a luz para ele que seja direcionado apenas para o que você estiver fotografando.

light painting
Luz escapando por todos os lados

Neste exemplo, a fonte de luz foi vista pela câmera, que criou um efeito de halo único em torno do carro.
Nesta imagem, a luz foi protegida da câmera e apontada apenas para o carro, de modo que o caminho da luz não é visível.

Configurando o plano

Talvez a peça a mais importante do equipamento que você vai precisar para uma seção de light painting é um tripé.
Como seu obturador ficará aberto por um período de tempo grande um tripé firme e que não se mexa durante a tomada da foto é essencial.
Lente também não precisa ser nada de outro mundo, você pode usar a que tiver a disposição.
Vale lembrar que a escolha da lentes por fazer muita diferença na imagem final.
light painting

 
Use as configurações de sua exposição para evitar qualquer luz ambiente indesejada, mexa no ISO e na abertura.

Configuração da exposição

O primeiro passo é obter uma exposição base, para tal você terá que encarar o modo manual de sua câmera.
Se você deixar a câmera em modo automático, ele tentará compensar a falta de luz.

  1. Primeiro, selecione o ISO mais baixo que seu sensor aceitar, na maioria das câmera é ISO 100. Como um benefício adicional, usando um baixo ISO também resultará em uma imagem de alta qualidade e sem ruídos.
  2. Em seguida, você vai querer escolher uma abertura bastante estreita, F/22 por exemplo. Isso manterá uma grande parte da imagem em foco. Também ajudará a tornar a imagem mais escura, conforme necessário.
  3. Por último, escolha uma velocidade de obturação que lhe dá um pouco de tempo para pintar o carro. Vale a pena testar, e é bem provável que você chega a cerca de 25 segundos.

Como você pode ver abaixo, esta imagem de base é quase completamente escura. Isto é perfeito. Agora a imagem final será apenas o que eu pinto com a minha luz.
light painting

A exposição base da minha imagem foi ISO 100, f / 9, 25 segundos.

Que faça-se a luz

Agora que tudo já esta preparado é hora de começar a pintar
Para ativar o obturador da câmera você pode usar alguns caminhos, colocar um temporizador, pedir a um amigo para dispara-lo quando você estiver pronto ou usar um controle remoto.
Claro que neste tipo de fotografia sem existe mais trabalho do que se imagina, então a tentativa e erro estarão sempre presentes.
Preste atenção em como a luz esta se refletindo sobre o que você estiver pintando, e como ela se espalha pelo ambiente.
Procure ângulos que envolvam o que você estiver pintando com luz, de forma que não apareçam listras de luz refletidas.
light painting
 
Você irá tentar algumas vezes até achar a distancia ideal para que não existe luz nem demais nem de menos, não deixe isto cortar seu barato.
Quanto mais praticar melhores serão seus resultados.
Você pode criar efeitos de fundo, usando a luz para criar efeitos.
light painting

light painting

Como você não apareça na foto..

É sabido que a câmera só pode ver objetos iluminados na frente dela.
Então quando você aponta sua fonte de luz para longe de você e continua se movendo durante o tempo que o obturador estiver aberto, a câmera simplesmente não te enxergará.
Você não vai esta parado, e iluminado, por tempo suficiente para que o sensor seja capaz de te ver e gravar sua imagem.
Mas caso você apareça na imagem, alguma coisa pode estar errada.

  • Você pode ter sido pego na luz refletindo fora do carro (ou acidentalmente acendeu ela em sua direção).
  • Pode haver muita luz ambiente. Tente ajustar as configurações de exposição para obter uma foto base um pouco mais escura.
  • Você ficou parado em um lugar por muito tempo, continuar se movendo.

Normalmente, essas aparências fantasmagóricas podem ser corrigidas facilmente com Photoshop mais tarde, embora você pode querer ajustar algumas configurações para poupar algum tempo de edição.

Controle sua iluminação

Se você achar que sua luz não está funcionando bem para o resultado final que você deseja, há duas maneiras de controlar isso.
Para efetivamente tornar sua luz mais poderosa, você pode escolher uma abertura mais ampla (número de f-stop mais baixo) ou aumentar a ISO.
Qualquer uma dessas opções tornará a câmera mais sensível a todas as luzes, incluindo a luz em sua mão.
Esteja ciente de que essas mudanças também afetarão a exposição da base para as condições de luz ambiente ficarão mais aparentes.
Assim, você também pode precisar alterar a velocidade do obturador para manter a imagem corretamente escura, provavelmente aumentado o tempo de exposição
Se tudo mais falhar, sua última opção pode ser simplesmente para comprar uma luz mais forte.
As fonte de iluminação podem ser as mais variadas possível, e é claro que um boa lanterna fará bem o serviço. Se você for levar isto a seria é legal investir nos mais variados tipo de iluminação.

Edição final

Muitas vezes, imagens pintadas de luz são bastante impressionante, mesmo sem edição, saindo direto da câmera.
E como você sabe você pode usar algum editor de pós produção para melhor sua imagem em vários aspectos.

light painting
Você pode levar esta imagem para o Lightroom por exemplo e trabalha-la da forma que preferir. Não se esqueça de fotografar em RAW para ter mais maleabilidade na hora da edição.

Ajustes gerais

Primeiro, você vai querer encontrar um bom equilíbrio de branco.
Falando de carros procure um ajuste de brancos que privilegie as linhas cromadas e as partes de aço do carro, então ajustes de branco mais frios fazem bem este trabalho.
Se você não limpou o carro perfeitamente, ou o que quer que esteja fatorando e precise ser limpo, você terá um trabalho a mais na edição limpando a maior parte da sujeito com ferramentas do tipo Spot healing.
Nesta etapa é bom procurar por sujeiras que estão no sensor ou lente da câmera, pois como obturador ficou aberto por muito tempo é comum que apareçam pontos de sujeita.

Ajustes seletivos

Talvez seja necessário escurecer ou clarear certas áreas da foto, então ai entra o processo de ajustes seletivos.
Com o auxilio de um pincel, falando do Lightroom, é possível fazer estes ajustes de forma rápida e simples.
Você também pode se valer de filtros gradiente para controlar a iluminação ambiente e trazer mais atenção ao personagem principal da foto.
light painting

 

Corre pra rua e vai brincar

Light painting alem de ser um boa opção para fotografar certas cenas também é um processo muito divertido, e como todo o procedimento envolve tentativa e erro, a única coisa que você precisa é correr para rua e começar a pintar.
Curtiu o post? Ajude a gente compartilhe em sua timeline e deixe seu comentário.

Categorias
Dicas de fotografia Tutoriais

Luz natural // Entendendo a cor da luz

A luz tem propriedades diferentes, isto é um fato, e para completar mais um pouco o assunto abordado em um dos posts passados, Luz Natural: Qualidade da luz,  hoje falaremos um pouco sobre a cor da luz natural. De forma que compreendendo isto você certamente se tornará um fotografo melhor. 

Entendo a cor da luz natural

Neste capítulo iremos ver:

  • Explorar como a cor pode afetar a resposta emocional.
  • Entender como a cor da luz natural muda ao longo do dia.
  • Saber como misturar cores claras para criar profundidade.

Cores como elementos visuais que constroem uma história

O que percebemos como cor nada mais é que a interpretação de nosso cérebro da luz refletida em algum objeto ou superfície, que é transmitida ao cérebro pelos nervos ópticos.

Sob o domínio da psicologia das cores, uma série de estudos têm mostrado que as cores podem afetar profundamente como nós experimentamos o mundo à nossa volta, a partir do sabor da comida que comemos, a forma como respondemos a nova embalagem marca nas prateleiras dos supermercados.

Cores afetam a forma como nos sentimos, e é precisamente por isso que o entendimento é da cor é tão importante para você como um fotógrafo.

Há muitas maneiras de se controlar ou alterar as cores nas suas imagens, como por edição, com o uso de filtros, ou ajustar o balanço do branco.

Mas o assunto de hoje é luz natura, então é por isto que vamos nos aprofundar neste assunto e aprender a criar uma resposta mais emocional, usando a cor certa de luz natural.

luz natural

Como “cor” é um conceito amorfo de certa forma, afinal tudo que vemos pode variar ligeiramente de tonalidade, não existe uma madeira definir precisamente tal tonalidade, por isto trabalhamos com o conceito de temperatura da cor.

Discutir a definição técnica de temperatura da cor será uma perda de tempo por dois motivos:

  1. Você vai ficar com sono
  2. E tal conceito não fará você fotografar melhor

A coisa mais importante a aprender aqui sobre a temperatura da cor é o seu padrão de medida, graus Kelvin, e agora você acabou de descobrir o que significa aquele símbolo “K” no ajuste de balanço de branco em sua câmera.

A partir dai temos o seguinte:

  • Temperatura da cor abaixo de 4000K são consideradas quentes (cores em vermelho e amarelo)
  • Temperaturas acima 4000K são consideradas cores frias (azul)
luz natural

Planejar é preciso

No artigo anterior, Luz natural: A qualidade da luz, você aprendeu a esquecer o conceito de iluminação boa ou ruim, e pensar em termos como luz mais adequada ou menos adequada.

E agora é claro que precisamos dar continuidade neste assunto todo, e da mesma forma que no artigo passado, aqui existe o mais adequado e o menos adequado. Então saber como a luz natural muda durante o decorrer do dia é o seu principal fator de planejamento.

Luz azulada (11000K)

luz natural

Este tipo de luz natural pode ser encontrada antes do nascer do sol e também depois que ele se põe.

Normalmente gera um efeito melancólico e misterioso, e trás a sensação de frieza.

Quando você sair para fotografar e estiver em tais condições em um ambiente urbano, tente misturar a luz natural azulada, do amanhecer ou anoitecer, com a luz artificial, laranja, da iluminação publica, isto irá criar uma combinação de luzes bem banana e trará mais profundidade ao quadro.

Atenção: Devido ao baixo nível de luz durante esta hora do dia, preste muita atenção para a velocidade do obturador para evitar imagens tremidas.

Luz dourada ou golden light (3500K)

Esta aqui depende um pouco de seu posicionamento geográfico. Mas normalmente a luz natura com tal cor pode ser encontrada no nascer e no pôr do sol.

Aqui o efeito emocional é bem conhecido dos fotógrafos, que inclusive apelidaram este momento de Golden Hour ou Magic Hour. É bem próximo a um quadro de pintura pastel com cores suas, tons quentes de  vermelho e amarelo.

Retratos tirados durante esta hora parecem cheios de magia e bem acolhedores.

luz natural

Retratos podem ficar muito bons usando a luz natural do nascer do sol como única fonte de iluminação.

Note que para a magia acontecer você precisa estar presente, então se planeja fotografar durante este período, planeje sua agenda pois você vai ter que acorda cedo, muito cedo.

Luz do meio dia (5000 a 6500K)

Este tipo de luz natural também depende da sua localização geográfica, na maioria dos lugares ela é bem comum cerca de 1 hora depois do nascer do sol assim como 1 hora depois dele se pôr.

O efeito emocional é bem neutro, mesmo sendo considerada uma cor fria, em termos de graus Kelvin.

Uma coisa bacana sobre este tipo de luz natural é que ela irá ampliar as cores dos objetos e trará um nível de contraste bem bacana a foto.

luz natural

Dia nublado (7000K)

Bom aqui é bem simples definir o quando. Quando o dia estiver nublado. É um tipo de luz natural que gera um efeito emocional semelhante a luz azulada mas com uma sensação um pouco mais triste.

Por se tratar de um luz um pouco mais forte, do que a luz azulada, você pode usar velocidade de obturador mais rápidas.

luz natural

Uma das maiores vantagens de se trabalhar com este tipo de luz natural é a constância, pois a tonalidade dela não muda muito durante o dia, o que significa que você pode trabalhar com menos pressa e prestar mais atenção as sua composições.

Misturando as cores

Tal qual todas regras que aprendemos, estas aqui só servem para uma coisa serem quebradas, neste caso misturadas.

Você irá conseguir resultados muito bacanas com a mistura de luz natural fria e cores. Colocando cores quentes no primeiro plano e as cores frias ao fundo por exemplo, o contrate e a profundidade podem te surpreender.

Trabalhar também entre os horários de mudanças do tipo de luz natural também lhe rendera ótimas fotos.

Você será capas de combinar as cores da Golden Hour, cores quentes como dourado, com cores frias do anoitecer.

luz natural

Misturando luz natural e artificial

Você também pode optar por fazer um mix de iluminação natural e artificial. Na foto a seguir vemos isto. A senhora foi iluminada com um lâmpada laranja da loja em quanto o restante era apenas a luz natural do de um dia nublado.

luz natural

Ou neste onde estão misturadas a luz quente das tochas com a iluminação azul fria do projetor atrás deles.

luz natural

Por hora é isto ai, logo mais apareço aqui com outro post. Enquanto isto se gostou deixe seu comente e compartilhe na sua timelime!

Categorias
Fotografia Faça você mesmo Tutoriais

Como fazer rebatedores para fotografia

Bom o assunto de hoje é fácil, rápido e prático e ainda vai te ajudar a economizar uma bela grana, hoje vou ensinar vocês a como fazer fazer rebatedores para fotografia.

O uso de refletores ou rebatedores na fotografia é apenas uma maneira de aproveitar a luz existente, e saltar aos olhos lugares específicos da imagem, por isso hoje o tema é rebatedores DIY, uma maneira fácil de fazer você mesmo seus próprios rebatedores.

Faça você mesmo seus rebatedores para fotografia

Isto pode ser feito virtualmente com qualquer superfície que se reflexiva a luz, como uma parede, um espelho, papelão, poliestireno expandido, uma folha de alumínio, etc.

Refletores fotografia dedicados vêm em muitas cores, formas e tamanhos diferentes. Prata, ouro, branco, e às vezes misturas dessas três cores comumente conhecido como refletores zebra são as cores mais comuns.

Há também rebatedores 5-in-1 que incluem uma superfície preta para absorver a luz, e uma superfície translúcida para suavizar a luz.

como fazer seu rebatedor 5 em 1
Rebatedor 5 em 1
Rebatedor Diy

Qual formato deve ser rebatedor para fotografia

O formato do rebatedor depende muito do assunto que você está fotografando. Normalmente refletores redondos dobráveis são os mais utilizados, porque eles são mais fáceis de manusear, e também mais fácil de dobrar, mas rebatedores triangulares e retangulares são muito populares também.

O tamanho do rebatedor também dependo do que você está tentando iluminar, e quando se trata de objetos pequenos, que serão fotografados em uma mesa, as coisas ficam complicadas porque rebatedores comum podem ser grandes e desajeitados.

Então vamos lá criar nosso próprio rebatedor Diy no tamanho da necessidade de cada situação que iremos fotografar.

Materiais para fazer seus rebatedores para fotografia

Mesmo que você possa usar folhas de papel simples com algum tipo de objeto como um suporte para segurar seu rebatedor Diy, a simples  técnica de dobradura com certeza irá te dar mais controle sobre a maneira como você colocar seus rebatedores.

Para começar, você vai precisar de algumas folhas de papel metalizado. Os que eu estou usando aqui podem ser encontrados em materiais de escritório ou lojas de artesanato, e existem em vários tamanhos e cores.

Eu comprei folhas de 50 × 70 centímetros,  e que me permitiu fazer um bom conjunto de rebatedores de diferentes tamanhos e formas.

Uma coisa bacana deste tipo de papel é que a parte de trás ele é branco, assim você pode usar o lado metalizado ou simplesmente virar para o lado branco de ter diferentes tipos de reflexões.

No lado metalizado você pode escolher também papéis que tenha algum tipo de textura, para criar efeito de reflexões diferentes, tornando sua luz uma pouco mais complexa.

Como fazer rebatedores para fotografia - Materiais
Papel cartão metalizado

Mãos a obra

Agora é hora de cortar o papel de tamanho. Isso depende do tamanho rebatedor que pretende criar, neste caso, eu estou fazendo um rebatedor de 8x13cm.

Como fazer rebatedores para fotografia - medidas

Agora, marque as linhas com uma caneta  e dobre o papel nessas linhas. Você vai acabar com algo parecido com isso.

Como fazer rebatedores para fotografia - Formato

Para manter as dobras sobrepostas no lugar, eu usei pequenos ímãs.

Você pode usar fita adesiva, velcro ou mesmo adesivo reutilizável, mas usar pequenos ímãs vai te dar mais controle na hora de escolher os ângulos de reflexão do seu rebatedor DIY.

Rebatedores DIY

Os ímãs também serão úteis se você for usar seu rebatedor em algum suporte, e não em cima de uma mesa.

Rebatedores DIY

Como usar seu novo rebatedor.

Agora que nós construímos alguns rebatedores agradáveis é hora de testá-los.

Mesmo que você não disponha de um sistema de iluminação profissional, você poderá usar seus novos brinquedos. Basta apenas ter uma janela e usa a luz que entra por ela.

Você vai se surpreender com o que pode ser feito.

A imagem a seguir é um exemplo.

Como fazer rebatedores para fotografia - resultado

Veja como foi feito

Rebatedores DIY

Esquerda, foto sem os rebatedores, apenas com a luz no fundo. Direita, foto da montagem do cenário.

Comece com suporte de lâmpada ou janela ao fundo e um difusor na frente jogando a luz por trás do objeto.

Rebatedores DIY

Esquerda, fotos com um rebatedor grande. Direita, foto do posicionamento do rebatedor. Agora, o mesmo sistema só que com a inclusão de um rebatedor grande na lateral.

Rebatedores DIY

Esquerda, resultado final com dois rebatedores dourados. Direita, foto do posicionamentos dos rebatedores.

E você pode ir acrescentando reflexos com seus novos rebatedores DIY. Como foi feito aqui onde do outro lado foi colocado um rebatedor pequeno.

Bom é isso aí, não esqueça que você pode mudar a cor de seu rebatedor para criar climas diferentes na foto.

E ai vai fazer seus rebatedores DIY? Deixe um comentários com as link para as fotos dos resultados!

Categorias
Dicas de fotografia Tutoriais

5 coisas para manter um foco perfeito

Existem algumas questões na fotografia que você pode consertar – imagens ruidosas, distrações no fundo, balanço de branco – mas manter o foco não é uma delas. Sempre ter aquela foto com o foco perfeito, afiado, pode levar você a arrancar os cabelos da cabeça.

Mesmo com a magia da Máscara de Nitidez ou as ferramentas do Lightroom, você não pode ir muito alem do limite no qual a foto foi tirada.

E as melhores dicas para sempre ter a foto com o foco perfeito começam aqui.

5 coisas para manter um foco perfeito

Ponto de foco único.

ponto de foco simples - foco perfeito

Esta é a primeira grande questão a se perguntar. Usar ou não ponto de foco único? 

Existem aqui muitas formas de se pensar, mas quando se usa o alto foco da maquina, sempre lembre de escolher o modo do auto foco, pois com ele é possível definir qual a área em quentão da foto estará com o foco perfeito.

Como por exemplo quando você esta fazendo um retrato, e configura o ponto de foto para a região dos olhos da pessoal a ser fotografada.

Você também pode optar pela focagem manual para conseguir um foco perfeito, e isto vale muito a pena quando se esta fazendo macrofotografia ou fotos noturnas.

Objetos em movimento

foco perfeito

Caramba como se mexe, como vou conseguir um foco perfeito? Quem nunca se fez esta pergunta ao fotografar, mas com os recursos das maquinas atuais você só fica sem a resposta se não souber utilizar as configuração das mesma.

Boa parte das maquina DSLR do mercado hoje em dia conta com um ajuste que se chama AF continuo, também conhecido como AI servo em câmeras Canon. Ele permite o Af da câmera possa acompanhar o objeto a ser fotografado.

Como por exemplo uma noiva andado em um corredor, uma criança brincando ou pássaros voando.

AF contínuo é muito útil, mas em algum momento você irá fotografar algo que é mais rápido do que o sistema de alto foco é capaz de seguir. Ai neste caso você deve voltar para o ajuste de foco simples e pré focar em uma área onde o objeto a ser fotografado estará.

Um dos melhor exemplos disto são carros muito rápidos, animais selvagens e alguns pássaros.

 A velocidade do obturador rápida o suficiente?

Velocidade do Obturador - foco perfeito

A velha regra sobre a velocidade do obturador a necessidade de haver pelo menos um segundo dividido pelo comprimento focal da lente ainda se mantém amplamente hoje em dia. Por exemplo se você esta fotografando com uma 50mm a velocidade do obturador deve ser pelo menos 1/50 seg ou mais rápido.

Lentes com estabilização de imagem ajudam, mas se sempre manter a velocidade do obturador com um ajuste adequado.

Ajustes muito lentos iram causar borrões em suas fotos, e isto não te ajudará a tem um foco perfeito.

Será que o ajuste do ISO é suficiente?

Controle de ISO Canon - foco perfeito

Vão existir momentos que você vai ter que meter a mão no ajuste do ISO, provavelmente para melhorar as condições de luz e poder ajustar a velocidade do obturador na velocidade necessária.

Não de acanhe e ajuste o ISO, a maioria dos equipamentos de hoje em dia conseguem lidar bem com ruído nas fotos em ajuste de até ISO 3200.

Certamente se você estiver abaixo de ISO 3200 você só notará o ruído quando ampliar a foto no computador, e mesmo que venha a fazer uma impressão desta imagem ela sairá bacana.

Veja mais em sobre exposição aqui

Quem precisa de tripé?

Porque você precisa de um tripé - foco perfeito

Mesmo que você não goste de carregar ele sempre será seu melhor amigo quando o negocio for tirar fotos com foco prefeito.

Não subestime um bom tripé, mesmo que você tenha ma lente com sistema de estabilização, ele te dará um suporte muito melhor do que as mão para tirar fotos com foco perfeito.

Você também pode ser utilizar da configuração de contagem regressiva para ativar o botão do obturador ou até mesmo de um controle remoto, para garantir definitivamente que nada se mexa enquanto você faz aquele foto maravilhosa.

Gostou do post deixe seu comentário!

Categorias
Dicas de fotografia Tutoriais

Macro fotografia: Como fotografar gotas de chuva

Neste tutorial de macro fotografia você vai aprender que um dia chuvoso não precisa ser um fracasso como pingos de chuva você pode realmente trazer grandes planos para a vida.

Macro fotografia, raindrops ou pingos de chuva

Gotas de água são um excelente assunto para fotografar sob uma configuração de macro e elas parecem particularmente atraente em flores.

Precisaremos de  um dia sem chuva de modo nossos ‘pingos’ fornecendo nossa própria água, usando a boa e velha garrafa com spray.

Esta é uma peça muito útil em kit de fotografia para uma sessão de macro.

As gotas de água vão adicionar um toque de brilho praticamente em qualquer assunto, de insetos e teias de aranha até natureza-morta.

O segredo para capturar fotos macro de sucesso é encontrar a flor certa, estames amarelo-alaranjadas contra as pétalas azuis podem criar um efeito impressionante.

Também é legal estar em um dica calmo de vento para que possa ter um foco bem nítido.

Nesta sessão foi utilizada uma lente macro 105mm capaz de fotografar em proporção 1:1. isto significa que podemos aproximar muito do tema a ser fotografado.

Se você não tiver uma lente macro você\ pode usar tubos extensores para cuidar do trabalho.

Escolheu um tema

Macro fotografia

Escolha uma flor que tem variedade de cores e detalhes interessantes, e de preferência uma que está posicionado na sombra parcial para difundir a luz solar.

Se o assunto estiver sob luz direta você pode de valer de um difusor, pode até ser improvisado, para suavizar a luz. Ajuste sua câmera em um tripé e configure todos os ajustes dele com firmeza

Configurações da câmera

Macro fotografia

Ajuste sua câmera para o modo Prioridade de Abertura  e defina uma abertura estreita, f/11 é uma boa pedida para captura uma boa profundidade de campo de modo que a maioria das flores e gotas de água fiquem com foco nítido.

Definir um baixo ISO, 100 por exemplo, ira ajudar a manter a qualidade da foto.

Mesmo que a câmera esteja montada num tripé talvez o vento te obrigue a subir um pouco o ISO para que possa usar de velocidade mais rápidas no obturador

Adicione água

Macro fotografia

Use sua garrafa spray para dar uma bela e fina nevoa de água em sua flor.

Adicione água onde você quer que ela aparece, mas cuidado não adicione muita água para que ela não fique escorrendo pelas pétalas

Use o foco manual

Macro fotografia

Configure sua lente para o modo manual, ative o live view da câmera e dê um zoom de umas 10x nele, mire para o centro da flor e ajuste o foco de forma que você possa obter a foto mais nítida possível.

Para o disparo sempre use a opção de auto-temporizador, aquele que espera alguns segundos para disparar depois que você apertar o botão, ou melhor ainda use um controle remoto.

Pequenas trepidação podem arruinar sua foto quando estamos falando de macro fotografia.

Pós produção sempre é importante

Macro fotografia

Se você não usa o Camera Raw ou o Lightroom é melhor começar a usar, eles iram te ajudar muito com sua fotos.

Então colha todos as fotos que vocês fez da sua flor para um destes programas. Neles você pode redimensionar ou recompor sua foto. Recomponha ela de forma que tenhamos na tela apenas o assunto.

Ajuste a exposição

Macro fotografia

Ajuste a exposição da foto de forma que ele fica mais clara, não superexposta, e também defina o ajuste de contraste de fora que você consiga ver as gotas de agua com mais nitidez.

Ajuste também os níveis de sombras e de brancos afim de adicionar luz e preenchimento a foto.

Finalmente empurre o controle Clarity para trazer mais nitidez a flor e as gotas de água.

Photoshop também pode ser útil

Macro no Photoshop

Para dar aquele detalhe a mais em sua imagem você pode precisar de ferramentas além das que já usou, e nesta hora o Photoshop da Adobe pode te ajudar.

Defina um valor alto para o controle Máscara de Nitidez e defina cerca de 2 pixels para o parâmetro Raio assim com 0 para o parâmetro Threshold, aplique e pronto.

Só falta ir em camada, Layer, e depois vá em achatar imagem, flatten image, e salve em Jpeg para distribuir pelas redes sua mais nova composição.

Inspiração

Você pode combinar flores e gotas de água de muitas maneiras para criar uma variedade de efeitos deslumbrantes

Semente de dente de leão

Foto de dandelion

Efeito Chuva

Foto de flor

Você pode criar efeitos espetaculares com água caindo. Nesta foto foi usado um flash para luminar as gotas por trás da flor. usar uma velocidade de obturador de cerca de 1/250 e um pano de fundo escuro iram ajudar a paralisar as gotas.

É isto use a imaginação e alguma água e não tem erro as fotos das flores da casa da vovó ficaram muito mais bonitas.

Se gostou deste artigo considere compartilhar em suas redes sociais e ajude o blog!