Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

Leica M10 já pode ser sua!

Diante de muitos lançamentos na uma CES a Leica também trouxe a sua, celebrando com um evento próprio na Alemanha, e lá  quem foi o evento já poderia sair com uma sacola no  ombro e como novo dono felizarda da Leica M10.

Leica M10 ja pode ser sua!

Leica m-10

Mais no filha da série M da Leica checou com grande melhorias, corpo mais fino, performance melhorada, mais intuitiva e muitas outras grandes melhororias.

 

SELETOR DE CONFIGURAÇÃO ISO NA PARTE SUPERIOR

Uma grande melhoria na seria com certeza foi a adição de um seletor dedicado para algumas das configurações e uma delas e que agora a Leica M10 tem um seletor de ISO na parte superior da câmera.
Leica m-10
São pequenos detalhes que tonam a utilização desta câmera muito mais confortável e intuitiva.
E este é o primeiro modelo da marca onde os fotógrafos podem controlar todos os parâmetros de exposição em controles físicos, sem a necessidade de acessar nenhum menu.
Isto significa que controlar a abertura, velocidade do obturador e agora também o ISO ficou bem mais fácil, e é possível faze-lo até com a câmera desligada.

SENSOR MELHORADO

A M10 possui um sensor de 24MP full frame desenvolvido especialmente para esta câmera. Ele permite uma faixa dinamita muito maior e mais rica, com contraste e nitidez impressionantes.
Leica m-10

AMPLIAÇÃO DA FAIXA ISO

Devido ao novo design do sensor, a faixa ISO também ganhou um bela expansão. Na Leica M10 ele pode ser ajustado entre ISO 100 até ISO 50.000. Desta forma a M10 tem desempenho fora do comum para situações com baixa luminosidade.

Leica m-10

VISOR MELHORADO

Talvez o melhor destaque das melhorias da Leica M10 seja o novo visor, que ganhou uma ampliação de 30% no tamanho da imagem. E com uma melhoria no design do visor ele também se tornou mais confortável.
Leica m-10

WI-FI

Como em todas as câmeras modernas a Leica M10 ganhou um recurso extremamente útil, conectividade Wi-Fi, que permite por meio de aplicativo disparar e revisar as fotos remotamente.
Leica m-10

DISPARO CONTÍNUO RÁPIDO

Um aspecto dela que ganhou um ajuste, não tão grande assim, foi no sistema de disparo continuo. Agora é possível fazer até 5 disparos em resolução máxima. Ajuste muito ultimo quando se esta fotografando cenas de ação.
Leica m-10

MANIPULAÇÃO MAIS SIMPLES E MAIS INTUITIVA

Com design mais minimalista no corpo da câmera a Leica M10 tem uma manipulação muito mais intuitiva e dinâmica, facilitando muito  a vida na hora de usar a câmera.
Leica m-10
Leica M10 é a Leica digital mais fina até agora, com apenas 33,75 mm de profundidade. Também é leve e compacta, fácil de usar e conveniente.
É também durável, resistindo facilmente chuvas leves, poeira e mau tempo.
Leica M10 estará disponível em duas cores: preto e prata . Está disponível para pre-orders, pré encomenda, a partir de 19 de janeiro de 2017 e vem com um preço de US$ 6.595,00.

Gostou do artigo? Considere compartilhar em suas rede sociais.

Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

Nikon D500, a nova queridinha da familia

Todo mundo sempre acho que precisa de uma câmera full frame, mas será que isto é realmente verdade, elas são assim tão melhores? Bom esta ai Nikon D500 pra provar que todos estavam errados.
Boa parte dos fotógrafos, inicialmente, optam por maquina com sensor cropado única e exclusivamente por conta de seu custo reduzido, quando comparamos com uma câmera full frame. 
Então se você esta se perguntando por que a Nikon resolveu criar mais uma câmera com sensor crop, talvez grana seja a resposta, mas cá entre nos esta câmera bota muita coisa full frame que existe por ai no bolso.
Então se esta pensando em investir em um novo corpo para a plataforma Nikon, leia todo este artigo e tire suas conclusões sobre a nova queridinha da família a Nikon D500.

Nikon D500, a nova queridinha da família de câmeras Nikon

Nikon D500.

Primeiras impressões

A primeira coisa que se nota na Nikon D500 é o seu tamanho, ele é grande, e ao contrario da crença popular uma câmera com sensor DX sempre são menores, a D500 quebra este mito, ela tem tamanho de câmera PRO.
A segunda coisa que se nota logo de cara é a semelhança, de posicionamento, dos controles com a D800. E em mais de um aspecto a Nikon D500 se parece com a D800.
O que ajuda bastante afinal a maioria dos consortes estão ao redor do corpo da câmera, evitando que você tenha que acessar toda hora os menus para mudar alguma configuração.
Apesar de ter muitos controles ao redor do corpo ela, como a maioria das Nikons, não é confusa na hora de fazer os ajustes, então você~e pode mudar variar configurações sem ter que tirar os olhos do visor.
Nikon D500

ISO e ruído

A Nikon D500 chegou para cobrir o buraco da popular D300, que foi lançada a alguns anos.
A Nikon D300, sempre foi uma prima maquina em quase todos os quesitos, porem sempre deixou a deseja quando o assunto era ajustes de ISO mais altos, então sempre que você usava algum ajuste maior la vinha o ruído junto.
Na D300 o ISO máximo era de 3200, enquanto na D500 ele chega a absurdos 512.000, assim não interessa qual seja a condição de iluminação você sempre terá suas fotos, e o nível de ruído na D500 é consideravelmente pequeno.

Nikon D500
ISO 6400 usando as mãos

Nikon D500
ISO 200 usando um tripé

Saiba mais sobre ISO e exposição aqui

Megapixels e tamanho da imagem

 
 
Esta câmera com som um sensor de 20MP, o que já mais que o suficiente para a maioria das pessoas, e o tamanho dos arquivos em RAW é de 25mb.
Não é um arquivo tão quanto de outras câmera por ai, mais sim é suficientemente grande para fazer você pensar em como vai armazenar suas fotos.
Nikon D500

Bateria

Apesar de muito semelhante a bateria de D800 a bateria de Nikon D500 é uma nova versão, então use apenas baterias para D500.
Se você tem baterias muito semelhante uma boa ideia é marca-las para não misturas e assim evitar problemas.
Já o carregador é o mesmo usado pela D800, o que é bom se você já é dono de uma belezinha destas.
Como na maioria das câmeras da Nikon o desempenho da bateria é um show a parte, você pode sair por mais de um dia de fotos sem ter que se preocupar com a carga da mesma.
Mas é claro que se você é do tipo que confere absolutamente todas as fotos que você tira na hora que foram tiradas o use excessivo do display irá diminuir a carga de sua bateria muito mais rápido.
Como na maioria das câmeras DSLR a vida útil das baterias é grande, então você só irá se preocupar em substituir a bateria da Nikon D500 depois de uns belos anos de uso.
Nikon D500

Liberação remota do obturador

Uma coisa sempre a manter em mente quando você compra um câmera nova é quais acessórios você já tem que irá funcionar com seu novo brinquedo.
E falando em controle remeto o MC-36 funciona perfeitamente bem, tanto para as D800, D300 e é claro para a Nikon D500.
Isto pode te economizar uns bons trocados, e não só no caso do controle, mas também sempre de uma olhada em outros acessórios que possam ser intercambiáveis.

Nikon D500

Área de focagem

Aqui é que o negocio começa a ficar bem sério. A Nikon D500 conta com o mesmo sistema de focagem de um dos mais recentes lançamentos da marca, a Nikon D5.
Ele conta com 153 pontos de focagem, e na pratica isto te diz que você pode usa-los em tono o quadro. Ele também é muito rápido banzo com que você possa seguir o assuntos a ser fotografado sem o menor problema.
Nikon D500
 

Cartões de memória

A Nikon D500 conta com dois slots de armazenamento, um para cartão SD e um outro para cartões XQD, que são cartões relativamente recentes, e cada vez mais comuns em câmeras Nikon.
A razão pela qual cartões mais rápidos vem sendo cada vez mais comuns em algumas câmeras da-se a fotos de algumas deles precisaram desta capacidade de gravação do cartão para poderem usar todos seu poder em fotos com muitos quadros por segundo.
Como a Nikon D500 pode atirar em até 12FPS, um cartão de memória rápido é quase mandatário.

Tela sensível ao toque

O display traseiro da D500 traz uma coisa muito bacana, além de poder ser angulado ele também é sensível ao toque.
Recurso que facilita muito a vida na hora de rever suas fotos ou ajustar alguma configuração, quando estiver usando o LiveView.
Nikon D500

Fator de corte

A Nikon D500 tem o fator de corte 1.5x. Basicamente, isso significa que se você tem uma lente full frame, como a 70-200mm, quando você usá-lo no D500 a lente torna-se essencialmente como um 105-300mm. Esta é uma das vantagens de usar um corpo de câmera DX com lentes de full frame.

Para quem é a Nikon D500?

Provavelmente o usuário que irá se interessar pela D500 é aquele que quiser tirar proveito do fator de corte, isto significa não gastar milhares de reais em lente tele objetiva.
Ter a capacidade de usar uma lente de 300mm ja é bom, usando ela em um corpo DX isto para a ser 450mm o que pode ser fantástico em alguns casos, afinal quanto mais longa é a lente mais caro ela costuma ser.

Nikon D500
D500 usando o fator de corte. Lente 80-200 se tornou uma 277mm para esta foto.

Outro publico que se beneficiará muito desta câmera é aquele que gosta de fotografar esportes, com uma boa qualidade de autofoco e contado com muitos quadros pode segundo ela parece ser a ferramenta ideal para este publico, junte isto ao fator de corte e tudo fica mais que perfeito.

Aplicativo Snapbridge

Este é um novo aplicativo desenvolvido pela Nikon que possibilita conectar o smartphone à câmera.
Ele é diferente de outros que usam Wi-Fi para controlar a câmera, o Snapbridge permanece conectado ao seu telefone o tempo todo.
Você pode fazer o upload de fotos, usá-lo para tirar fotos e também mantém o firmware da câmera atualizado.
Ele está disponível para iPhones e Android, embora seja um pouco mais difícil de usar com um Android.

Conclusão

A Nikon D500 é uma ótima câmera, e quem for o felizardo em comprar uma desta definitivamente não vai se arrepender.
Fácil de usar, rápida e com uma qualidade de imagem muito boa e se torna um ótima opção para aqueles que querem um novo corpo DX.
Mesmo aqueles que são donos de câmeras full frame irão se impressionar com a qualidade de Nikon D500, principalmente se você não tem uma Full Frame atual.

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais.

Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

Panasonic GH5. Videos em 4k e 60 FPS

Chega ao mercado a uma das câmeras mais esperadas do ano, a Panasonic GH5, levando ao extremo o que sua antecessora, a GH4, já fazia muito bem ela é o novo marco para quem quer fazer videos.

Contando com um novo senso, Micro Four Trhids, de 20.3 MP e sem filtro low pass o conjunta também traz novo processador, dois slot para cartão, e estabilização de imagem no corpo será bem difícil alguém tirar o posto de câmera preferida dos vloggers este ano.

Panasonic Lumix GH5. Videos em 4k e 60 FPS sem cropar

Panasonic GH5

Esta definitivamente é uma das câmeras mais esperadas do ano, não só pelo fotógrafos mas também pelos videografos de plantão.

Além de um novo sensor, estabilização de imagem e slot duplo para cartão do tipo SD, esta maquina também conta com capacidades de ajusto ISO bem impressionantes, e seu desempenho em situações de baixa iluminação parece ser ótimo.

O sistema de autofoco também ganhou uma bela atualização, agora são 255 pontos de foco ante aos 49 da GH4, mais que o suficiente para capturar cenas com muita ação.

Mas talvez os recursos mais esperados vieram em seu site de video. Capaz de gravar em 4K e 60 frames por segundo, sem cropping, ela também é capaz de faze-lo em 4:2:0 a 150mps.

Em 30FPS ela é capaz de gravar videos em 4K a 10 bits 4:2:2, algo que provavelmente receberá uptades no firmware para ganhar melhorias.


Uma grande surpresa da Panasonic Lumix GH5 pra quem faz videos é que ela oferece por padrão a vista Vectorscope e Wave Form direto na câmera, fazendo com que sua leitura do que esta acontecendo fique mais fácil.
Recurso que será muito útil para aquele que usam monitores externos, com certeza uma tela maior irá facilitar sua vida neste sentido.
Panasonic-GH5
 

Algumas das características incluem…

  • Dual IS 2 – Sistema de estabilização de imagem que combina sistema tanto no sensor quanto na lente.
  • UHS-II – Slots de cartão SD duplos – Sistema duplo de armazenamento que muda automaticamente para o segundo cartão, assim que o primeiro estiver cheio, ou caso queria você pode alocar certo arquivos em um cartão e outros arquivos no segundo cartão afim de facilitar a organização
  • Corpo em liga de magnésio fundido capaz de suportar temperaturas de até -10 ° C.
  • Wi-Fi, NFC e Bluetooth ja vem embutidos na Panasonic GH5
  • 225 pontos de autofoco.
  • Até 400 disparos mesmo usando o display traseiro 

O produto esta em em pré venda nos EUA e não sabemos quando ele chegará por aqui, e mesmo com todos os uptades o preço não é assim tão salgado, lógico quando comparamos com outros lançamentos, o custo dela é de cerca de U$2000,00 apenas para o corpo.

E ai animado para pra fazer um videos em 4K com esta mocinha? Deixa seus comentários.

Gostou do poste? Compartilhe em suas redes sociais e ajude o blog. 
Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

CANON G9 X MARK II 8.2FPS. A nova pequena da Canon

A Canon atualizou sua popular câmera compacta G9X com algumas novas adições, e agora temos a CANON G9 X MARK II.
Ele apresenta algumas mudanças bem significativas quando comparado com sua versão anterior. As duas maiores mudanças ficam por conta do aumento da velocidade de disparo.
Na versão antiga você tinha apenas 1 FPS em RAW,  e agora ela conta com um disparo continuo de 8.2 FPS, mudança e tanto!
Outro detalhe que foi muito melhorado é a CANON G9 X MARK II, conta com sistema de estatização de imagem duplo, usando a lente e o sensor.

CANON G9 X MARK II 8.2FPS EM RAW E ESTABILIZAÇÃO DUPLA

CANON G9 X MARK II
Embora as câmeras compactas esteja entrando em extinção, até por conta do crescimento do mercado das câmeras mirrorless e dos smartphones, para algumas empresas este mercado ainda terá uma sobrevida.

Veja mais sobre cameras mirrorless aqui

Algumas pessoas ainda preferem a versatilidade de uma câmera point and shot, em comparação ao celular, por conta do zoom e de alguns recursos melhores.

A CANON G9 X MARK II além de duas grandes inovações para as câmeras de pequeno porte também conta com mais algumas atualizações.

Ela é a primeira câmera da série PowerShot a apresentar recursos como Bluetooth, Wi-Fi, e NFC e também ganhou uma estreio muito melhorado no site de Autofoco.

Como na versão anterior ele possui um sensor de 20.2MP e uma lente 28-80mm com abertura variável de F/2-4.9.

CANON G9 X MARK II

Assim como na versão anterior ele não conta com visor, mas trás uma belo display traseiro com touchscreen.
CANON G9 X MARK II
O sistema duplo de estabilização de imagem combina a lente e o  sensor para fornecer até 3.5 pontos de redução de vibração. Um recurso bem poderoso para uma point and shot. 
Para aquele usuário que não quer investir em um site DSLR ou mirrorless, e também não gosta de tirar fotos com o celular, ela parece ser a escolha lógica.
CANON G9 X MARK II CANON G9 X MARK II
 
Caso você queira algo um pouco mais robusto, talvez mais focado em vídeos, a Canon também anuncio uma nova G7X Mark II com um kit para video makers, que adiciona um tripé Manfrotto, uma bateria extra e um belo cartão SD, Sandisk de 32GB.
CANON G9 X MARK II
 
Por enquanto ele esta disponível apenas como pré encomenda, e o custo não é dos mais amigáveis, US$ 530,00 para a versão preta a partir de Fevereiro.
O kit video maker com a G7X Mark II, também no sistema de pré encomenda, US$ 750,00.
Resta saber quando estas belezinha chegaram aqui no Brasil e quanto você vai ter que desembolsar pra ter uma delas.
 

Gostou do post? Deixe seu comentário e compartilhe em suas redes sociais isto é muito importante pra gente.

Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

10 melhores cameras mirrorless de 2016

Foi-se o tempo em que fotógrafos ficavam loucos com os novos lançamentos de câmeras DSLR, hoje o negocio é carregar menos peso e por isto esta aqui um artigo que pode te ajudar nesta tarefa, 10 melhores câmeras mirrorless de 2016.
E também não é pra menos quem tem uma DSLR hoje sabe o quanto pesa, nas costas e no bolso, carregar todas aquelas lente e corpo de câmera pra cima e para baixo.
Com o avanço das tecnologias nos vemos em um cenário onde muitos, mas muitos mesmo, fotógrafos estão preferindo mudar de plataforma e dedicar seus gastos exclusivamente em caretas mirrorless e lentes para o sistema.
E hoje, final de ano, a única coisa melhor que saber quais câmeras mirrorless foram as melhores em 2016 é poder comprar uma, e por que não, algumas delas. 

10 melhores câmeras mirrorless de 2016

1. Fuji X-T2

 

Uma câmera impressionante perfeita para entusiastas de fotografia

Tamanho do sensor: APS-C 
Resolução: 24.3MP
Visor: EVF
Monitor: display de 3 polegadas com inclinação e 1.040.000 pontos
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps
Vídeos: 4K
Nível do Usuário: Expert . Para quem tem uma Fuji para o X-T1 pode parecer semelhante à primeira vista, mas houve grandes melhorias e talvez o maior de todos é o autofoco.
Esta câmera aqui teve um grande avanço em relação ao sistema encontrado na X-T1, o autofoco para cenas em movimento é muito mais ágil, e o nível de personalização é impressionante.
Adicione a esta receita os 8 quadros por segundo, 8 Fps, um display com inclinação, e uma EVF mais brilhante e ela se torna uma câmera de muito respeito.
Nesta edição  Fuji traz um excelente sensor APS-C de 24.3MP, o Trans III, e todos os controles importantes com aceso direto no corpo da câmera fazem dele uma ótima opção para todos os níveis de fotografia.
+ Ótimo manuseio
+ Autofoco muito rápido
–  Sem tela touchscreen
–  Sem muitas novidades

2. Olympus OM-D E-M10 II

cameras mirrorless de 2016
O brilhante E-M10 II carrapatos caixas você provavelmente nem sabia sobre

Tamanho do sensor: Micro Four Thirds (Micro 3/4) 
Resolução: 16.1MP 
Visor: EVF 
Monitor: display de inclinação de 3.0 polegadas, 1.037.000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8,5 fps 
Filmes: 1080p  
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
A versão anterior da E-M10 ficou famosa por conta de seu tamanho bem reduzido, versatilidade e preço muito atrativo.
O sistema de estabilização de 3 eixos da versão I desta câmera foi atualizado agora na versão II par um sistema com 5 eixos de estabilização.
Um ponto importante que também recebeu um belo tratamento foi a resolução do EVF, que praticamente duplicada, e a quantidade de disparos por segundo recebeu um singelo update, antes eram 8Fps e hoje são 8,5Fps.
Muito irão critica o formato do sensor, Micro four thirds, que é quase metade do tamanho de um sensor APS-C, mais isto faz com que a câmera, e as lentes, possam ter tamanha bem reduzido.
Ela é pequena, mas definitivamente não é nenhum brinquedo. A E-M10 II é uma arma muito poderosa.
+ Ótimo viewfinder
+ Compacta , inclusive as lentes
–  Sensor menor do que as maiores concorrentes do mercado
– Preço um pouco maior que sua antecessora (US$ 650,00)

3. Sony Alpha A7R II

cameras mirrorless de 2016
Sony, mais alta resolução full-framer está chagando

Tamanho do sensor: Full-frame 
Resolução: 42.4MP 
Visor: EVF 
Monitor: display com inclinação e tamanha de 3 polegadas, 1,228,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 5fps 
Filmes: 4K 
Nível do Usuário: Expert
Apesar de ser pequena, e até passar meio que despercebida, em meio a outra CSCs do mercado, a série Alpha 7 da Sony conta com um sensor full-frame.
Isto na pratica significa que seu sensor tem o mesmo tamanho que um filme de 35mm, o que é um boa noticia para qualidade da imagem e para o controle da profundidade de campo.
O A7R II provou ser especialmente popular porque tem uma contagem de pixel de 42.2MP, assim que gera imagens enormes que têm toneladas de detalhes, e o ruído é controlado bem.
Junte tudo isto com a capacidade dela de captar filmes em 4K e outros recursos de nível profissional e terá um monstrinho nas mãos.
Pra fechar o pacote, ela conta com um excelente sistema de estabilização e tecnologias Wi-fi e NFC embutidas na própria câmera.
+ Grande qualidade de imagem
+ EVF de nível superior
– Precisa de um melhor sistema de autofoco
– O display não vira para todos os lados

4. Fuji X-T10

cameras mirrorless de 2016
O X-T10 torna acessível o incrível sistema X-mount da Fuji

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 16.3MP  
Visor: EVF 
Monitor: display de 3 poles com inclinação, 920,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Filmes: 1080p
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Se o papai Noel não tão generoso no orçamento, então você pode dar uma bela olhada neste criança aqui a Fuji X-T10.
Compartilhando muitos dos recursos presentes na X-T1 e o estilo DSLR retro dela fazem dela uma ótima opção pro seu bolso e para suas fotos.
Conta com uma ótima qualidade de imagem e modos de simulação de filme, coisa que a Fuji faz muito bem.
Nele não estão presentes recursos com resistência a interpretes, e o EVF é bem menor do que de sua irmã mais rica.
A lente que vem no kit é uma 16-50mm muito boa por sinal, e caso queira pode substituir por uma 18-55mm com mais alguns trocados.
E como já sabido, a Fuji tem uma gama enorme de lentes, tanto as prime quanto as zoom.
Isso não é esquecer a gama crescente de Fuji de lentes premium, prime e zoom.

5. Panasonic Lumix G80 / G85

Grandes recursos espremidos em um corpo pequeno

Tamanho do sensor: Micro Four Third 
Resolução: 16MP 
Visor: EVF
Monitor: Visor de 3.0 polegadas, 1.040.000 pontos 

Taxa máxima de disparo contínuo: 9fps 
Resolução de vídeo máxima: 4K
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Embora não seja muito perfeita, a G80 (G85 nos EUA) trás um belo conjunto de recursos e desempenho o que a torna um opção muito atraente no mundo das câmeras mirrorless.
Com um sistema de autofoco muito bom, mesmo quando esta fotografando assuntos em movimento, e um sistema de estabilização primoroso tornam esta criança uma seria concorrente.
A qualidade de imagem é boa, e seu filtro highpass faz um diferença positiva nas fotos de um forma geral.
Contando com um bom EVF e um bom visor em LCD a G80 e uma boa quantidade de lentes disponíveis esta criança pode te conquistar.
+ Visor touchscreen
+ Ótimo video, principalmente em 4K
–  Apenas 16MP
– Interface poderia ser melhor

6. Fuji X-Pro2

cameras mirrorless de 2016
Estilo clássico abriga uma pilha de recursos destinados ao fotógrafo entusiasta

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 24.3MP 
Visor: EVF & óptico 
Monitor: display de 3,0 polegadas, 1,620,000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Resolução de vídeo máxima: 1080p 
Nível do Usuário: Expert
A X-pro2 foi projetada para aquele fotografo que gostas de câmeras pequenas, mas sem perder a qualidade.
Usando um sensor de 24.6MP, o mesmo sensor da Fuji X-T2, mas com um autofoco não tão eficiente assim, fazem dela uma capaz de agradar a quase todos.
A Xpro-2 conta com um sistema EVF exclusivo, o Advanced Multi Viewfinder, que é um visor viewfinder padrão das câmeras mirrorless da marca, mas também conta com um visor ótico tipo rangefinder.
Tem um preço um pouco salgado, US$1600,00, mas você será bem recompensado na hora de carregar ela pra cima e pra baixo alem da experiência de fotografar atreves do rangefinder, o que pode ser bem divertido.
+ Bonita
+ Viewfinder muito inteligente
– Display fixo
– Preço

7. Sony Alpha A6300

cameras mirrorless de 2016
Esqueça todas as preocupações sobre o foco lento com este pequeno belezinha

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 24.2MP  
Visor: EVF 
Monitor: tela com 3 polegadas e com inclinação, 921,600 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 11fps 
Filmes: 4K 
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Se você ainda esta procurando uma câmera pequena, mas que trabalhe igual a gente grande, talvez aqui esteja a solução.
A A6300 parece ser a resposta da Sony aos sistemas de autofoco das câmeras DLSR, ditos sempre como mais rápidos e superiores, o sistema de autofoco desta criança aqui é impressionante.
Apesar do sensor APS-C ser um pouco pequeno para alguns fotógrafos, ele sempre será a escolha mais lógica em uma câmera que tem que ter tamanho reduzido. E nesta câmera ele faz um belo trabalho.
Ela inda conta com tecnologias NFC e Wi-Fi onde você pode compartilhar as fotos direto da câmera para seu celular por exemplo.
+ Sistema de auto foco
+ Ótimo viewfinder
– Tela sem touchscreen
– Tela não virá para todos os lados

8. Olympus Pen-F

cameras mirrorless de 2016
Elegante estilo retro em parceria com uma série de recursos criativos
Tamanho do sensor: Micro four thirds 
Resolução: 20MP 
Visor: EVF 
Monitor: display touchscreen de 3,0 polegadas, inclinação variável, 1,037,000 pontos |
Taxa máxima de disparo contínuo: 10fps 
Filmes: 1080p 
Nível de usuário: Intermediário / especialista
Seguindo o design clássico das Pen-f da década de 60,e este é o máximo de proximidade que eles tem em comum fora o fato de serem câmeras fotográficas.

Contando com um belo sensor MFT de 20MP e indo no caminho diferente das antecessoras da série Pen, que não tinha viewfinder, a versão Pen-F conta com um belo EVF integrado.
O sistema de estabilização também foi remodelado e agora conta com 5 eixos de estabilização para combater qualquer tremida na câmera.
Oferece um ótima quantidade de recursos e personalizações alem de contar com conectividade Wi-Fi.
+ Ótimo visor
+ Design e qualidade de construção
– Cara
– Botão são pequenos

9. Panasonic Lumix GX80 / GX85

A GX8 despojada.

Tamanho do sensor: Micro four thirds 
Resolução: 16MP 
Visor: EVF 
Monitor: touchscreen com 3 polegadas, 1,040,000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Resolução de vídeo máxima: 4K
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
A GX80 da Panasonic é uma aposta da marca, que se a linha da já conhecida GX8, só que com muitas melhorias.
Trouxe um EVF fico com resolução bem melhorada, mais um sensor com mais resolução poderia ser adicionado, hoje conta com 16MP e o filtro AA foi removida pra ter uma melhoria na qualidade de imagem.
Agora a GX80 também pode filmar em 4K, e com capacita de captar imagem de 8MP a partir das imagens gravadas.
O manuseio é meio problemático, mas com um autofoco rápido, um corpo compacto e um boa combinação de lentes junto com uma bela capacidade de filmes em 4K fazem você esquecer um pouco que a câmera é ruim de usar.
+ Ótimos recursos pelo preço 
+ Autofoco consistente
– Ergonomia poderia ser bem melhor
– Não usa o sensor mais recente 

10. Sony Alpha A7 II

cameras mirrorless de 2016
Uma maneira mais acessível para ir full-frame com um sistema de câmera mirrorless

Tamanho do sensor: Full-frame 
Resolução: 24.3MP 
Visor: EVF 
Monitor: tela de 3 polegadas com inclinação, 1,228,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 5fps 
Filmes: 1080p 
Nível de usuário: Intermediário / especialista
Mesmo não tendo a mesma resolução que sua irmã mais cara, a Sony A7RII, a A7II não faz feio quando o assunto é profundidade de campo.
Isto por conta também do sensor full-frame, o que te trará muito alegria na hora de destacar o assunto e borrar o fundo ao mesmo tempo.
Como já era de se esperar esta geração erda muitos dos recursos aplicados nas irmã mais caras, como corpo em magnésio  por exemplo.
Tudo isto junto com o sistema de autofoco de 5 eixos das com que este seja mais uma grande concorrente aqui.
+ Ótima qualidade de imagem
+ Sensor full-frame por um ótimo preço
– Precisa de autofoco melhor
– Gasta muita bateria 

E você qual você acha que é a melhor câmera mirrorless de 2016? Deixe sua sugestão ai nos comentários.

Veja também a melhores Mirrorless de 2017 aqui

 

Gostou do artigo considere compartilhar em sua redes sociais e ajude o blog!

Categorias
Novidades na fotografia

Capture One Pro 10 promete uma edição de imagem mais rápida, precisão na revisão de fotos

Foi há um ano que a Phase One anunciou a versão anterior do Capture One, mas hoje conhecemos o Capture One Pro 10.

Capture One Pro 10 promete uma edição de imagem mais rápida

Com uma versão totalmente nova e uma variedade de novos recursos, incluindo algumas atualizações bem bacanas na interface, e um novo sistema de nitidez surge no mercado o Caoture One 10 PRO.

Além de muitas novidades a versão 10 do software conta com um novo suporte a inúmeras camarões e lentes, parte que também recebeu um belo uptade na versão 10 do Capture One.

Quando comparado com a versão anterior ele parece estar bem mais esperto, as atualização de velocidade estão funcionando muito bem.

Talvez esta melhora no desempenho se de por conta da nova interface que foi redesenha e esta mais leve e simples, mais ainda muito funcional.

A maior novidade talvez seja a inclusão de um sistema de nitidez, Sharpness, em três etapas, uma bela novidade no Capture One 10 Pro.

Uma ferramenta que ajuda o usuário a combater a difração, que trabalha quase que sozinha. Uma área de nitidez criativa, que tem parâmetros definidos pelo usuário.

E para fechar temos as opções de nitidez para finalização das fotos, impressão ou web.

Novo recurso

Um novo recurso muito bacana é o recurso de revisão das fotos, ele permite que o usuário veja na tela as imagens finalizadas, ou seja, exatamente da forma que elas serão exportadas.

E quem se utiliza de softwares de pro produção sabe que não é incomum que durante a edição o arquivo RAW praça um pouco diferente do arquivo que foi exportado.

E com este recurso novo no Capture One pro 10 você com certeza vai economizar sua paciência e limitar suas frustrações.

Para usuários que já utilizavam o Capture One Pro 8 ou 9 a atualização para a versão 10 sai US$99,00, e para cliente novos o custo da licença é de US$299,00.

Caso a carteira esteja em baixa você pode optar pelo plano de assinatura mensal, com um custo de US$15,00 em um plano de 12 meses.

Com certeza o lançamento do Capture One e do Macphun Luminar são novidades interessante no mundo da edição / pós produção de fotos. Resta saber quem é que vai fazer mais frente a gigante Adobe e ao Lightroom.