Categorias
Dicas de Lightroom e Photoshop

COTROLES DO PAINEL BÁSICO DO LIGHTROOM

O Lightroom definitivamente é melhor  que um canivete suíço pra um fotógrafo, e saber como usar os controles do painel básico tem um valor inestimável para que suas fotos fiquem ainda mais impressionantes.

Todo o desenvolvimento de uma boa pós produção no Lightroom irá passar por aqui e definitivamente você quer saber somo usar os controles no painel básico como uma mestre.

Muitos fotógrafos levam anos para aprender usar corretamente este controles, e depois que aprender não contam pra ninguém.

Então se você usa o Lightroom, e vai por mim deveria usar, esta seção de ajustes será o divisor de águas no jeito que você faz as correções de suas fotos.

 

O que tem nos controles do painel básico do Lightroom?

São quatro controles principais:

  1. Destaques (Highlights)
  2. Sombras (Shadows)
  3. Brancos (Whites)
  4. Negros (Blacks)

E como vimos em um dos posts passados, COMO FUNCIONA O HISTOGRAMA DO LIGHTROOM, estes ajustes também podem ser vistos e feito usando o histograma.
Para efeito de aprendizagem usaremos a mesma foto no decorrer do processo, e onde você poderá notar todas as diferenças. E caso queira repetir o processo em sua casa você pode baixar o arquivo RAW aqui.

controles do painel básico
Preste sempre atenção no que esta acontecendo no histograma

Controle o níveis de detalhes da foto (Highlights)

Diferente do controle de exposição (Exposure), que controla o brilho geral da foto deixando-a mais clara ou escura, o controle de destaque irá te permitir um ajuste semelhante porém trabalhando apenas nas áreas mais brilhantes da foto.
Como podemos ver na foto abaixo se ajustamos o controle de destaques para o máximo, termos uma fotos com áreas claras bem evidentes.
E também podemos ver pelo histograma que o gráfico parece um pouco mais uniforme.
controles do painel básico
 
Você pode usar o controle de destaque do Lightroom para corrigir a exposição da foto apenas nas áreas claras, sem mexer no controle de exposição, o que é uma ótima ferramenta de ajuste fino.

Saiba mais sobre exposição aqui

Claro que você não precisa sempre ajustar os highlights em seu nível máximo, na verdade não existe receita para este ajuste cada foto irá precisar de uma determinada quantidade de ajuste.
Neste ponto você ja deve ter percebido que ao ajusta os destaques para a direita deixará as áreas claras mais claras, e ao contrario deixará as claras mais escuras.
Uma coisa interessante sobre os controles do nível básico do Lightroom é que eles sempre funcionam melhor em conjunto, ou seja, quando você usa todos os controles para balancear as áreas escuras e claras da foto.
Sendo assim, podemos até diminuir a quantidade de ajuste de highlights da foto, afim de recuperar detalhes, e depois ajustar o brilho geral usando o controle de exposição.
controles do painel básico
 
Cabe  a você definir qual é o melhor caminho para chegar no resulto desejado usando os controles do painel básico do Lightroom.

Controle o níveis de sombras da foto (Shadows)

O controle de sombras tem função contraria a do controle de destaques, ele apenas ajusta as áreas escuras da fotos, de forma a criar sombras e melhor a profundidade da foto.
De certa forma trabalhar com os dois controles te ajuda a conseguir melhor a exposição da foto.
controles do painel básico
 
Repare com recuperamos alguns dos detalhes de sombra da pétala apenas ajustando o nível das sombras, de forma que agora esta região da foto ganha mais profundidade.
Igual ao controle de highlights o controle de shadows será único para cada foto e você terá sempre que fazer alguns ajustes finos, principalmente depois de usar um preset.

Controle o níveis de branco (Whites)

Nos controles do nível  básico do Lightroom existe um controle muito importante e que tem total relação com o controle de destaques, que falamos a pouco, é o controle de brancos.
Não confunda o controle de branco com o Balanço de Branco, White Balance, eles são coisas diferentes.
Ele afeta não apenas as áreas claras da fotos, mas também as áreas com branco da foto, tornando-as mais brancas ou menos brancas, de forma a ajudar no controle da exposição.
O ajuste dos brancos da fotos também ajuda, e muito no nível de detalhes da fotos, podendo fazer diferença na profundidade.
Com o auxílio da tecla ALT é possível ver se você esta ajustando os brancos acima do nível de estouro, ou clipagem.

Para Saber mais sobre clipagem clique aqui

 
controles do painel básico
Podemos ver que com leve ajuste no nível dos brancos chamados um pouco mais de atenção para as pétalas mas centralizadas na foto.
Saber usar os controles do painel básico do Lightroom irá fazer com que sua foto se destaque multidão.

Controle o níveis de pretos (Blacks)

Tal qual o ajuste dos brancos, os ajuste dos pretos, ou áreas puramente pretas da fotos também ajudam a equilibrar sua exposição e dar mais profundidade a fotos.
Aqui é onde podemos até aceitar certa áreas com estouro de pretos, pois sempre existirão áreas com preto puro na foto, mas cuidado para não exagerar.
A diferença de profundidade que este controle pode fazer irá determinar o sucesso de sua foto, então tomo muito cuidado para não passar do ponto, deixar este ajuste de lado também não é uma boa opção.
controles do painel básico
 

Antes e depois

Para você ter uma ideia geral de onde partimos e onde chegamos como um todo, e claro para mostrar quanta diferença apenas quatro ajustes podem fazer veja o ante e depois logo abaixo.
Podemos ver que com ajustes simples podemos criar mais contraste e profundada a foto, equilibrar a exposição e também chamar mais a atenção para uma área específica.
Claro que com a ajuda das outras ferramentas disponíveis podemos fazer muito mais coisas.
Algo importa a se dizer é, já que tanto o Lightroom quanto o Câmera Raw, pra que usa apenas Photoshop, funcionam com a mesma formula, você pode aplicar o que aprendeu aqui também no Câmera Raw.
Na verdade isto pode ser aplicado em qualquer editor de imagem, afinal o conceito é o mesmo.
Baixe a foto, teste e se quiser comentem e coloque seus resultados pra gente ver!

Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais isto é muito importante pra gente.

 

Categorias
Dicas de fotografia Fotografia com celular

DICAS E APLICATIVOS para Fotografia com Android

Por onde quer que andamos hoje iremos ver uma mar de telefones celulares, tudo graças a popularização de aparelhos e sistemas como o Android, e todo mundo quer fazer fotografias, então hoje temos dicas de aplicativos e muito mais para Android.

Mesmo com a popularização de muitos aparelhos com excelentes câmeras abordo é indiscutível que muitas pessoas usam apenas a superfície de seus recursos para fazer ótimas fotos com seus telefones.

Hoje podemos ver uma crescente tendência no mundo da fotografia, vide as cameras mirrorless, onde o conforto é que o dita o caminho do mercado, e logo poderemos ver telefones sendo usando no meio profissional como câmera principal.

DICAS E APLICATIVOS para Fotografia com Android

Fotografia para Android.
Interface da câmera do Galaxy S7 Edge

Telefones

Nem todos os telefones são os mesmos, nem as câmeras que vem abordo neles. E se você gosta muito de fotografia e quer usar seu celular para isto, sugiro fazer uma bela pesquisa antes. Embora o Samsung tenha passado pelo fiasco do Galaxy Note 7, temos que lembrar que ele sempre fizeram celulares com ótimas câmeras, o que é o caso da câmera do Galaxy S7 Edge. Fotos bem claras e nítidas podem ser feitas com este meninão ai, basta investir um belo dinheiro no aparelho e saber um pouco de fotografia pra fazer trabalho bem bacanas.

Fotografia para Android.
Foto tirado com um Galaxy S7 Edge

Mas calma lá, não pense que é só comprar o celular saber abrir o aplicativo e sair fotografando que você vai conseguir resultou como o da foto acima. Antes você precisa saber algumas coisas sobre fotografia como luz, composição, exposição só pra começas. E aqui vçao algumas dicas valiosas para você conseguir isto.

Veja mais sobre luz aqui.

Compre o celular do tamanho da sua necessidade

Não só a câmera de um celular, mas ele comum todo, tem configurações e modos de operação diferentes, então encontrar um que se encaixe em suas necessidades é primordial.

Se sua intenção é fotografar bastante com o telefone é importante verificar se o mesmo entrega as características que você quer, quanto a qualidade de imagem, suporte a determinado modo de operação e coisas do tipo.

Uma coisa importante para verificar é o espaço de armazenamento, um problema atual em todos os smartfones, assim como a facilidade de transferência das fotos para um computador.

Fotografia para Android.
Foto tirada com um Lumia 1020, nem só de Apple e Android vive o mundo da fotografia no celular

Apps para fotografia

Vivemos em um mundo dominado de aplicativos, e parecer existir aplicativos para qualquer função que imaginarmos. Alguns são ótimos e outros são realmente uma porcaria.

Se você é usuário do sistema Android, o jeito mais fácil de conseguir opções e mais opções de aplicativos para fotografia é ir na Google Play e procurar por cameras.

Você terá uma quantidade absurda de aplicativos a sua suposição, muitos em formato gratuito.

Aqui você tem uma lista com alguns dos melhores aplicativos para fotografia que você pode encontrar.:

Fotografia para Android.
Interface do ProShot.

Além deste existem muitos outros, inclusive conceitos um pouco mais peculiares com o Instant que simula fotografias feitas com uma câmera Polaroid.

Fotografia para Android.
Instant

Fica a seu cargo definir qual aplicativo será o melhor para cada ocasião, afinal a criatividade é suas.Independente disto, você não precisa ter apenas um aplicativo para fotografia, afinal como existem muitas opções você pode fazer uso delas a vontade.

Lentes para encaixar telefone

Hoje existem uma infinidade de acessórios para fotografia, e principalmente quando falamos de celular, talvez o mais conhecido deles seja o tal pau de self, e convenhamos poderia ter uma nome mais bonito né…

Existem lentes que podem ser adaptadas em seu celular, muitas vezes sem o auxilio de nenhum case especial.

A algum tempo elas era quase que exclusividade para donos de Iphones, porém hoje é possível encontra-las absolutamente para qualquer marca de telefone.

Umas marca chamada Lensbaby tem um kit completo de lentes para donos de Iphone, com opções muito bacanas para elevar sua criatividade.

Uma outra marca que fabrica coisas muito legais, tanto para Android quanto para Apple é a Photojojo, com uma linha muito legal de lente com encaixe magnético.

Lenste profissionais para celular
lentes para fotografar com smartphone

E mesmo outros tipos de fixação das lentes no celular podem ser encontrados como as clipLens que pode se ajustar facilmente a posição da câmera de seu celular.

Acessorios para fotografar com smartphone

APLICATIVOS para Fotografia : Edição de fotos

Claro que não podemos esquecer que depois de horas planejando a luz, o local e um monte de outras coisas antes de tirar a foto, temos o trabalho da pós produção.

Saiba mais sobre pós produção aqui

Antes de compartilhar suas fotos em qualquer rede social, é sempre interessante dar uma passada em algum app de edição e dar aquele toque final na imagem.

Um dos mais famosos para Android é o Snapseed, rápido, fácil de usar e de graça ele se torna ferramenta indispensável para quem quer fotografar com o celular.

Mas não pense que ele é o único, temos ótimas opções disponíveis na Google Play, VSCO editor, o Prisma e muitos outros.

O Lightroom Mobile assim como o Snapseed recebem um belo destaque quando falamos de fotografia em um caráter um pouco mais sério, afinal um foi desenvolvido pela Adobe, referencia no raro de imagens, desenvolvido pelo Nik também referencia no ramo da edição de imagens.

Dicas de fotografia com smartphone
Fotografia com smartphone Android.

Independe de qual sistema seu celular use, se você possui a melhor câmera ou não, o mais  importante aqui é usar a imaginação da melhor formar possível, afinal não adianta nada ter milhões de reais em equipamentos e não fazer uma boa foto sequer.  

E ai quais são suas sugestões de apps, celulares e lentes para fotografia com celular, não precisa ser apenas Android, deixe ai nos comentários.

Categorias
Dicas de Lightroom e Photoshop

COMO FUNCIONA O HISTOGRAMA DO LIGHTROOM

O histograma no Lightroom é uma ferramenta útil que é facilmente ignorada, e entender como funciona o histograma do Lightroom é indispensável para qualquer fotografo. 
Seu objetivo principal é ajudá-lo a entender a relação entre os controles deslizantes no painel Básico e os tons em suas fotos.

Como funciona o HISTOGRAMA do Lightroom e por que você precisa dele.

 

Onde está o histograma Lightroom?

O histograma é encontrado em dois lugares, na parte superior dos painéis do lado direito nos módulos Biblioteca (Library) e Desenvolvimento (Develop).
No módulo da Biblioteca, o histograma do Lightroom ajuda você a ver o que está acontecendo com sua foto.
E no modo de desenvolvimento você precisa dele para poder controlar melhor os ajustes durante o processamento de suas fotos, tal qual como obter informações importantes sobre a imagem.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
Histograma, no topo da imagem

O que o histograma do Lightroom te diz?

O histograma irá indicar qualquer informasão referente a quantia de tons claros ou escuros nas suas fotos. Mostrando isto em um gráfico do tipo gráfico de picos.
Você pode por exemplo saber se os tons calor da imagem estão muito fortes, ou saber se as áreas escuras estão se sobressaindo ou até mesmo se estão clipando, termo usado para quando a estouro de terminada cor.
O histograma do Lightroom, assim como o de sua câmeras, pode te dar informações sobre contraste, superposição ou super exposição, tudo isto em uma caixa gráfica fácil de ler.
Toda vez que você muda os ajustes no modelo de desenvolvimento você poderá ver mudanças no padrão do gráfico do histograma.

Como verificar clipping, ou estouro no histograma

Na foto abaixo você pode ver dois triângulos, um em cada lado do histograma, o triângulo do lado esquerdo representa as área escuras da foto, ou puramente pretas, enquanto o do lado direito as áreas claras, ou puramente brancas.

áreas de clipping, ou estouro, no histograma

Na foto podemos ver que o triângulo do lado escuro da fotos, esta preenchido, e isto nós diz que na fotos temos um pouco de estouro da cor preta, ou cores escuras.
Já na outra ponta o triângulo responsável pelas cores claras esta opaco, indicando que não temos estouro nas áreas claras da foto.
É normal sempre termo estouro nas regiões escuras da foto, e não é algo tão preocupante assim. Quando temos estouro nas áreas claras podemos começa a ter problemas com a foto.
Clicando, ou apenas passando o cursor do mouse, em cima de cada triângulo ele te indicará direto na foto as áreas em que o estouro acontece.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
áreas com clipping na região escura da foto 3

Ao redefinir os valor de exposição de uma foto no Lightroom, preste sempre atenção no que acontece com seu histograma, pois ele irá te mostrar se a região esta clipando ou perto de clipar.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
Highlight clipping. áreas claras da imagem estouradas

Como o histograma entende a fotografia com uma coisa só, não apenas exposição, quando você faz ajustes em outras regiões ele também irá te ajudar a entender o que esta acontecendo com a foto.
Como por exemplo ajustamos os Destaques, Highlights, da foto. No exemplo, mesmo depois de ajustar a exposição para +1.00 e depois ajustar os highlights para -100 não temos nenhum aviso de clipping.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
Ajuste no controle de destaque irá afetar o histograma

O histograma e a subexposição

Se houver um pico na região esquerda do histograma isto provavelmente significa que a fotografia esta subexposta.

Veja mais sobre exposição aqui.

Mas isto também ode acontecer quando temos muito tons escuros na foto, e poucos tons claros, então saber ler o histograma pode te ajudar a definir se a foto esta bem ou má exposta.

HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
Leitura do histograma para sub-exposição

Olhando tudo de uma vez, foto é histograma, você irá nota como as coisas fazem sentido!
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
Histograma e imagem mostrando que esta sub-exposta

Embora você posa consertar isto fotografando novamente e conseguindo uma boa exposição, nada te impede de usar o Lightroom para conseguir melhorar a exposição da foto.
Mexendo no controle de exposição o histograma também se moverá, caso use o controle de exposição para a direita os gráfico do histograma se moveram para a direta, e a mesma coisa acontece quando você o ajusta para a esquerda.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Aqui ao ajustar a exposição em +1,90 o histograma já se mostra bem melhor equilibrado.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
E o mesmo pode se dizer da foto, onde já podemos ver muito mais detalhes presentes.
O mesmo pode acontecer quando você tem um pico no histograma mas desta vez na região das áreas claras, mas normalmente uma foto digital com estouro nas áreas claras é mais complica da de se trabalhar.
Nunca se esquece de calibrar corretamente seu monitor, pois haverá momentos onde você estará vendo uma informação falso com relação sua imagem, é este é mais um grande motivo para você aprender como funciona o histograma do Lightroom.

O histograma e o contraste

Se o histograma estiver agrupado e não abranger todo o intervalo do gráfico, isto indica que a fotografia tem um baixo contraste, e provavelmente estaremos falando de uma foto com uma luz mais plana.

Veja mais sobre Luz aqui

HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
O histograma acima é de uma foto preto e branco onde o nível de contraste não é tão forte assim, e o histograma indica que temos mais áreas claras do que escuras na imagem.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Usando os controles disponíveis para ajustar a foto poderemos uma mudança tanto no histograma quanto na própria foto.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
No exemplo acima vemos como tanto o histograma quanto a própria foto tem mais contraste entre as regiões claras e escuras da fotografia.

O histograma e os controles deslizantes

Existem 5 seções principais onde é muito fácil ver o efeito dos controles deslizantes sobre o histograma do Lightroom, inclusive o próprio programa denomina eles quando você este som o cursor do mouse sobre a região.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Esta é uma forma bem interessante para descobrir quais áreas das foto, ou seja quais controles, precisam ser ajustados apenas usando o histograma como referencia.
Você pode inclusive usar o próprio histogram como controle para fazer seus ajustes.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Quando estive com o mouse em cima de uma região do histograma aparecera uma seta dupla, como a circulada de venda na foto acima, clicando com ela e arrastando  mouse para esquerda ou para a direita os controles deslizando serão ajustados.
Desta forma você será capaz de fazer os ajustes em suas fotos apenas usando o histograma do Lightroom sem se quer tocar nos controles que deslizam.
Como são cinco zonas cada uma delas controla uma seção especifica do menu de ajuste básicos do modo de desenvolvimento, então aprender como cauda um é representado no histograma do Lightroom é fundamental.

Luminância e histogramas de cores

Quando estamos trabalhando com fotografias coloridas é muito importante saber como as cores são representadas no histograma.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Neste histograma conseguimos ver informações coloridas e também uma informação cinza, o cinza representa a luminância das cores, luminance, já os coloridos representam os canais de cor da fotografia.

Saturação e histograma

Os controles de cores no painel Básico afetam os histogramas de cores.
A maneira mais fácil de mostrá-lo é demonstrando como o controle deslizante de saturação, saturation,  afeta os histogramas de cores.
Aqui está um histograma pertencente a uma foto colorida, com Saturação definida em zero.

 
Quando redefino o controle de saturação, desta vez para +100, podemos ver um pico no histograma, este pico é referente as cores dominantes na fotografia.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 
Você também irá notar que os dois triângulos que indicam clipagem também mudaram de cor.
O triângulo do lado das sombras, esquerda, agora tem cor magenta, quanto o do lado direito tem cor azul.
Isto incida que temos clipagem, mas sombras apenas no canal da cor magenta, e nos detalhes apenas no canal da cor azul.
Quando ajustamos o controle de saturando a -100 o histograma volta a ter apenas o desenhos referente a luminância.
HISTOGRAMA DO LIGHTROOM
 

Conclusão

Saber como usar o histograma corretamente é muito importante para que você saiba para onde esta indo, lógico que em fotografia temos um misto de feeling e técnica, mas ter uma ferramenta que a enxergar desta forma sempre é interessante.

Gostou do artigo? Considere compartilhar em suas redes sociais e ajude o blog!

Categorias
Câmeras e lentes

Melhores câmeras DSLR 2016

Você quer comprar uma câmera DSLR, mas não sabe para onde ir? Então você chegou ao lugar certo, pois é aqui que nós relacionamos as melhores câmeras DSLR de 2016.
Neste mega artigo de final ano você verá um apanhado do que tem de melhor no mundos das câmeras digital single reflex no mercado.

As Melhores câmeras DSLR 2016

Pra quem não sabe exatamente o que é uma câmera DSLR, ela é uma câmera onde as lentes podem ser removidas de modo que diferentes ópticas podem ser anexadas.
Esta variedade permite que você começa com poucas lente e vá agregando equipamento com o passar do tempo, a fim de buscar novos resultados de imagem.
Não confunda uma DSLR com uma câmera de sistema compacto, ou câmeras mirrorless, que é um sistema mais jovem e que vem invadindo a terra nos últimos anos.

Veja mais sobre mirrorless aqui

Lição rápida, montagem das lentes

Uma coisa muito bacana sobre as câmeras DSLR é que a marcas gostam de manter uma certa herança de série para série de câmeras.
Sendo assim, caso você tenha uma coleção de lentes de uma determinada marca será bem provável que você possa comprar apenas um corpo novo e poderá continuar fotografado.
A montagem para as lentes da marca Canon se chama EF, para Nikon F-mount, para Pentax K-mount e já a Sony utiliza o A-mount.
Sempre pesquise antes se comprar um lente, ou corpo de câmera, novo pois as vezes existem algumas exceções, então não coloque o seu bolso em risco.

Tamanho do Sensor

Uma coisa muito importante a se pensar é o tamanho do sensor que você gostaria de usar, se será um sensor APS-C, o famoso sensor cromado, ou se será um sensor full-frame, equivalente ao filme de 35mm.
Aqui cada caso será um caso, pois os dois tipos de sensor tem suas vantagens. Apesar de vermos os sensores full-frame mais comumente nas câmeras DSLR top de linha.

Cameras DSLR nível iniciante

Nikon D3300

cameras dslr
Nikon D3300

Ao você decidi entrar no mundo das câmeras DSLR, mas você não tem tenta grana assim pra investir em uma câmera top de linha como sua primeira cara.
A Nikon tem vários modelos de câmeras DSLR e uma delas é a Nikon D3300, um dos modelos mais básico da marca e ótimo para te introduzir no mundo das DSLR.
Camera de nível iniciante, mas muito completa, todos os controles bem dispostos pelo corpo da maquina e com boa qualidade de imagem.
Este câmera definitivamente te ensinará a fotografar, a conseguir uma boa exposição, além de fazer ótimas fotos no decorrer do processo.
Também conta com um modos automáticos que te ajudaram em situações mais difícil, onde você só quer apontar e fotografar.
Uma das desvantagens desta câmera é que o visor cobre apenas 955 imagem real, então você nunca vê exatamente tudo que você gostaria de fotografar.
Com um sensor APS-C de 24MP a qualidade de imagem da Nikon D3300 vai te impressionar, digna de uma boa competição com maquina muito mais caras que ela.
Combine isto com uma lente de boa qualidade e você terá um ótima equipamento nas mão.
A versão mais recente da marca, a Nikon D34000, adiciona apenas conectividade Wi-FI nativa na câmera, o que talvez possa ser interessante em alguns casos.

Veja imagens feitas com a Nikon D3300 aqui.

Canon EOS 1300D

cameras dslr
Canon 1300D

A grande concorrente da Nikon D3300 é a Canon 1300D, é que é uma aposta bem segura já que custa um pouco menos que a D3300 sem perder nenhuma das principais características.
Apesar de fazer ótimas imagens e ter um bom visor a Canon 1300D peca um pouco na qualidade do display, e se você quer usa-lo para fazer fotos sugiro procurar uma câmera mirrorless, que vai ganhar em disparado neste sentido.

Veja as melhores cameras mirrorless de 2016 aqui

Assim como na Nikon D3300, a Canon 1300D tem as mesmas limitações quanto ao campo de visão do visor, mas nada que te impeça de fazer ótimas fotos.
Também usando um sensor APS-C só que com 18MP de resolução qualidade de imagem é boa, mais um pouco inferior as imagens da Nikon.
Ela é o que podemos chamar de pechincha pois é uma câmera DSLR muito barata com um boa qualidade de imagem.
Independente de qual das duas você escolha, certamente estará muito bem servido. E isto vai ajudar a pavimentar seu caminho para um futuro upgrade.

Veja fotos feitas com a Canon 1300D aqui

Melhor Camera DSLR de pequeno porte

Canon EOS 100D (Canon EOS SL1)

cameras dslr
Canon 100D

Nesta categoria a Canon EOS 100D não tem concorrência, podemos até chamar de categoria própria.
Ela é uma maravilha da tecnologia em tamanho reduzido, e com preço bem convidativo, e isto pode ser um fator determinante para sua escolha.
Tem um sensor de 18MP similar ao das EOS 700D e produz boa qualidade de imagem, o fato da câmera ser pequena para uma DSLR faz com que teu trabalho venha a ser bem mais fácil e menos cansativo.
Infelizmente é bem prova que não vejamos mais câmeras DSLR deste tamanho já que tanto a Canon quanto a Nikon preferiram migrar para as câmeras mirrorless, quando a assunto é tamanho reduzido.

Veja fotos com a Canon SL1 aqui

Cameras DSLR de nível intermediário.

Canon 80D

cameras dslr
Canon 80D

Se você esta procurando uma câmera faz-tudo talvez uma das suas melhores opções é a Canon 80D, umas das câmeras DSLR mais bem sucedidas para este tipo de função.
A Canon 80d se destaca bastante pelo seu novo sistema de autofoco, o Dual Pixel AF, que utiliza dois sistemas de detecção de fazer, um no sensor e outro no visor.
Conta com 45 pontos de foco, o que é muito bom, alguns deles podendo trabalhar de forma cruzada com outros para acelerar o processo de focagem mesmo com lentes mais lentas.
O visor também é uma grande melhoria nesta câmera, cobrindo 100 da imagem que será grava pelo sensor, então você fotografa exatamente o que esta vendo.
O display traseiro conta com tecnologia touchscreen, o que pode facilitar a operação da câmera em alguns casos, alem de contar com sistema de inclinação, o que definitivamente facilita a vida.
Ótimo qualidade de imagem, melhorias na tecnologia, e o preço fica cada dia melhor. Talvez esta posa ser sua primeira arame dlsr.

Veja fotos tiradas com a Canon 80D aqui

Nikon D7200

cameras dslr
Nikon D7200

Grande concorrente disputando o mercado cabeça a cabeça com a Canon 80D, a Nikon D7200 é a atualização da antiga Nikon D7100.
A Nikon D7200 parece ter dado um passo atrás quando olhamos para seu display sem inclinação, isto para uma DSLR moderna e quase um sacrilégio.
Mas quando olhamos mais de perto, percebemos que alem do visor ótico contar com uma cobertura da 100% ela ainda vem com recursos de conectividade muito bacanas, como NFC e Wi-Fi.
Quando falamos do sistema de autofoco, que talvez seja a melhor qualidade desta câmera, o assunto começa a fica bem sério.
Contando com 51 pontos de focagem o Multi-Cam 3500 pode foco impressionantemente rápido para uma câmera DSLR dita como de nível intermediário.
Mesmo não se tratado de uma câmera DSLR das mais baratas a Nikon D7200 merece todo o respeito, mesmo não tendo display inclinável. E com certeza você irá pensar duas vezes em cortar um corpo novo depois de ter um deste.

Veja fotos capturadas com a Nikon D7200 aqui.

DSLR Full-Frame de entrada

Nikon D610

cameras dslr
Nikon D610

As palavra full-frame e modelo de entrada tendem a não combinar muito, dado o fato de que você tem que meter a mão no bolso de forma generosa para comprar qualquer uma das câmeras dlsr full-frame do mercado.
Então você precisa estar certo de que quer mergulhar fundo no mundo das câmeras DSLR, pois o investimento vai ser alto.
A Nikon D610 é a evolução da antiga Nikon D600, e posso dizer que elas não tem tanta diferença tecnologia assim.
Ela foi a solução que a Nikon achou para acabar com o problema das D600 que espirravam óleo no sensor, estragando suas imagens.
Alem disto a Nikon resolveu dar uma bombada em alguns recursos para justificar também o aumento no preço desta câmera.
A Nikon D610 é uma ótima opção para aqueles que querem ter a disposição um sensor full-frame e não precisão ter um sensor com 36MP, igual ao da D810.
Com uma ótima qualidade de imagem, e alguns recursos interessantes com Wi-FI, que apenas funciona se você tiver o dongle Wu-1b, esta câmera é algo muito interessante para aqueles que querem começa a falar sério na fotografia.

Veja a Nikon D610 em ação aqui

Melhores cameras DSLR top de linha (APS-C)

Nikon D500

cameras dslr
Nikon D500

Esta aqui não é nenhuma atualização feita pela Nikon para a famosa D300S, é uma câmera totalmente nova.
Ela definitivamente é uma das câmeras DSLR mais  impressionantes que saíram este ano, com quase todas as especificações da top da linha da marca, a Nikon D5, só que num corpo menor e com um sensor APS-C.
Conta com um sensor de 21MP, e um novo processador de imagens o Expede 5 e tem uma senilidade ISO monstruosa, cerca de 1.640.000.
Com um sistema de auto foco muito refinado para uma câmera DSLR deste tipo a Nikon D500 é uma seria concorrente a câmera do ano.
Apenas alguns detalhes conta contra ela, com cartas configurações desnecessárias, com a emulação de ISO em móveis muito altos, e que geram muito ruído.

Veja este monstrinho em ação, Nikon D500 fotos aqui

Canon EOS 7D Mark II

cameras dslr
Canon 7D

Uma forte concorrente ao posto de melhor câmera DSLR de 2016 é a Canon 7D MarkII.
Esta moça o conta consistem de autofoco com 65 pontos de focagem, um medidor de exposição infravermelho, e um novo sistema de obturador que permite até 200.000 ciclos.
Tanto a 7D MarkII quanto  a Nikon D500 conseguem disparar a 10 quadros por segundo, uma quantia bem razoável para qualquer pessoa.
A Canon 7D MII traz na bagagem um novo sensor de 20.2MP, e que tem ótima qualidade de imagem. Curiosamente vimos que as duas são bem semelhantes.
Existem algumas lacunas de recursos nela, como a falta de display articulado, tela com touchscreen e principalmente a captura de videos em 4K.

Veja fotos tiradas com a Canon 7d MKII aqui

Melhores câmeras Dslr com Alta resolução

cameras dslr
Nikon D810

Nikon D810

Entra ano e sai ano e ela continua no mesmo posto, la em 2012 todos acharam loucura a Nikon lançar uma câmera com 36MP de resolução. E num que depois ela ainda ganhou um filhote.
A Nikon D810 manteve a resolução de sua antecessora e ainda trouxe alguns ajuste no desempenho afim de melhorar a qualidade da imagem, e da operação.
Tudo isto envolve em um corpo extremamente resiste e com um sensor full-frame tornam este criança o sonhos de muitos fotógrafos.
Conta ainda com um excelente sistema de auto foco, um dos melhores até hoje, com 51 pontos de focagem.
Definitivamente se você decidir ir por este caminho você não vai se arrepender. A única coisa que pode te acontecer é você demorar alguns anos pra recuperar sua conta poupança.

Veja os absurdos 36MP da Nikon D810 em ação aqui.

Canon EOS 5DS

cameras dslr
Canon 5Ds

Esta claro que a guerra entre as marcas de câmeras DSLR esta bem definida entre Nikon e Canon e é claro que a Canon não podia deixar passar em branco o lançamento da D810.
E assim nasceu a Canon uma câmera DSLR full frame com 50MP de resolução, a Canon EOS 5ds, uma câmera com sensor de 35mm para fazer uma bela frente as câmeras de formato médio.
Ela não é uma câmera para qualquer um, o foto de ter tanta resolução assim quase não te permite pegar a câmera e sair fotografando em no piloto automático.
É uma das poucas a derrubar do trono a Nikon D810 quando falamos em resolução, e quanto escolhemos a lente certa e os ajuste de exposição corretos ela é capaz de fotografar absurdamente bem.

Veja fotos tiradas com a 5Ds aqui 

Melhores câmeras dlsr para vídeo

Sony Alpha A99 / Mark II

cameras dslr
Sony Alpha A99 / Mark II

Nem só de fotografia vive o mundo das câmeras DSLR, e como não poderia faltar temos aqui uma boa opção para aqueles que querem fazer filmes com suas câmeras.
A Sony Alpha A99 Mark II é uma câmera com sensor full-frame e conta com tecnologia nas lente chamada SLT, Sony’s single lens translucent, com um sistema de autofoco muito silencioso e rápido.
Tudo isto pode ser conferido ao vivo no display traseiro da maquina, que o sinal funciona quase que na mesma velocidade que o visor.
Ela conta com um sensor de 42MP, bem impressionante, alem de poder gravar filmes em 4K. Se o negocio é filmar definitivamente você pode escolher este moça aqui.

Confira um vidros feito com ela em 4K aqui

Melhor câmera DSLR pra entusiastas (full-frame)

Canon EOS 5D Mark IV

cameras dslr
Canon EOS 5D Mark IV

Digamos que você ja esta fotografando a algum tempo e quer se testar no mundo das câmeras full-frame mas sem estourar o orçamento investindo em um equipamento “profissional”.
Talvez um boa escolha natural seja você procura uma Canon 5D markIV é quase o equilíbrio perfeito entre resolução, qualidade de imagem, auto foco e preço.
única nesta categoria, dada a ausência da Nikon neste setor do mercado, faz dela uma das poucas opções disponíveis.
Talvez a maior concorrente dele seja a X-T2 da Fuji, mas esta é mirrorless.
Definitivamente é ótima câmara para todas as situação, mesmo em baixa iluminação.

Melhor DSLR profissional (full-frame)

Canon EOS 1D X Mark II

cameras dslr
Canon EOS 1D X Mark II

Sabe quando o negocio fica sério, bem sério mesmo, então se você chegou até aqui, você certamente quer, se é que já não é, se tornar um fotografo profissional.
E as escolhas mais lógicos do momento, principalmente se você gosta de fotografar esporte ou cenas deste tipo, é a Canon EOS 1D X Mark II ou a Nikon D5
A Canon consegue fazer fotos em velocidade muito grande até 14 fps, este ritmo ja esta mais que perfeito para não deixar dela qualquer detalhe do movimento da cena.
A duração da bateria da 1D X II é algo também muito impressionante, parece durar para sempre, ela é câmera quase perfeita para todos os tipo de trabalho.
Com um sensor full-frame de 20.2MP e um sistema de autofoco de 61 pontos fazem com que qualquer detalhe da foto possa ser guardado para eternidade.

Veja fotos com esta velocista aqui

Nikon D5

cameras dslr
Nikon D5

Esta aqui é a reposta da Nikon para a câmera velocista da Canon, pena que ele quase chegar perto, ainda falta um pouco pelo menos no quesito velocidade.
A Nikon D5 é o mais recém lançamento da Nikon no setor de câmeras DSLR profissional, e ela é uma câmera de respeito, alias de muito respeito.
Ela é capaz de fazer fotos em 12 fps, em modo normal, perdendo por 2 quadro para sua concorrente da Canon, mas quando travamos o espelho dela a D5 é capaz de igualar as velocidades da 1DX II.
Além disto ela com  um sistema de autofoco ridiculamente grande, 153 pontos, iguais o sistema que são utilizados na D500 também da Nikon.
Mesmo em condições de baixa iluminação este sistema é capaz de seguir o assunto pela cena sem muitos problemas, definitivamente um grande avanço.
Podemos dizer que para o consumidor comum esta seria a Ferrari das câmeras dlsr, um pouco mais lenta que as Lamborghini, ou seja a 1Dx II, mas definitivamente tão boa quanto.
Estas foram as melhores câmeras Dlsr de 2016, mesmo que algumas delas já tenha sido lançada a alguns anos, elas estão nesta lista pois se destacam em mais de um quesito e não tem muitas concorrente.

Veja fotos tiradas com a Nikon D5 aqui

Gostou do artigo? Considere compartilhar em suas redes sociais e ajuda o blog !

Veja também as Melhores DLSR de 2017

E não perca a versão mais atual, As Melhores DLSR de 2018

Categorias
Câmeras e lentes Novidades na fotografia

10 melhores cameras mirrorless de 2016

Foi-se o tempo em que fotógrafos ficavam loucos com os novos lançamentos de câmeras DSLR, hoje o negocio é carregar menos peso e por isto esta aqui um artigo que pode te ajudar nesta tarefa, 10 melhores câmeras mirrorless de 2016.
E também não é pra menos quem tem uma DSLR hoje sabe o quanto pesa, nas costas e no bolso, carregar todas aquelas lente e corpo de câmera pra cima e para baixo.
Com o avanço das tecnologias nos vemos em um cenário onde muitos, mas muitos mesmo, fotógrafos estão preferindo mudar de plataforma e dedicar seus gastos exclusivamente em caretas mirrorless e lentes para o sistema.
E hoje, final de ano, a única coisa melhor que saber quais câmeras mirrorless foram as melhores em 2016 é poder comprar uma, e por que não, algumas delas. 

10 melhores câmeras mirrorless de 2016

1. Fuji X-T2

 

Uma câmera impressionante perfeita para entusiastas de fotografia

Tamanho do sensor: APS-C 
Resolução: 24.3MP
Visor: EVF
Monitor: display de 3 polegadas com inclinação e 1.040.000 pontos
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps
Vídeos: 4K
Nível do Usuário: Expert . Para quem tem uma Fuji para o X-T1 pode parecer semelhante à primeira vista, mas houve grandes melhorias e talvez o maior de todos é o autofoco.
Esta câmera aqui teve um grande avanço em relação ao sistema encontrado na X-T1, o autofoco para cenas em movimento é muito mais ágil, e o nível de personalização é impressionante.
Adicione a esta receita os 8 quadros por segundo, 8 Fps, um display com inclinação, e uma EVF mais brilhante e ela se torna uma câmera de muito respeito.
Nesta edição  Fuji traz um excelente sensor APS-C de 24.3MP, o Trans III, e todos os controles importantes com aceso direto no corpo da câmera fazem dele uma ótima opção para todos os níveis de fotografia.
+ Ótimo manuseio
+ Autofoco muito rápido
–  Sem tela touchscreen
–  Sem muitas novidades

2. Olympus OM-D E-M10 II

cameras mirrorless de 2016
O brilhante E-M10 II carrapatos caixas você provavelmente nem sabia sobre

Tamanho do sensor: Micro Four Thirds (Micro 3/4) 
Resolução: 16.1MP 
Visor: EVF 
Monitor: display de inclinação de 3.0 polegadas, 1.037.000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8,5 fps 
Filmes: 1080p  
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
A versão anterior da E-M10 ficou famosa por conta de seu tamanho bem reduzido, versatilidade e preço muito atrativo.
O sistema de estabilização de 3 eixos da versão I desta câmera foi atualizado agora na versão II par um sistema com 5 eixos de estabilização.
Um ponto importante que também recebeu um belo tratamento foi a resolução do EVF, que praticamente duplicada, e a quantidade de disparos por segundo recebeu um singelo update, antes eram 8Fps e hoje são 8,5Fps.
Muito irão critica o formato do sensor, Micro four thirds, que é quase metade do tamanho de um sensor APS-C, mais isto faz com que a câmera, e as lentes, possam ter tamanha bem reduzido.
Ela é pequena, mas definitivamente não é nenhum brinquedo. A E-M10 II é uma arma muito poderosa.
+ Ótimo viewfinder
+ Compacta , inclusive as lentes
–  Sensor menor do que as maiores concorrentes do mercado
– Preço um pouco maior que sua antecessora (US$ 650,00)

3. Sony Alpha A7R II

cameras mirrorless de 2016
Sony, mais alta resolução full-framer está chagando

Tamanho do sensor: Full-frame 
Resolução: 42.4MP 
Visor: EVF 
Monitor: display com inclinação e tamanha de 3 polegadas, 1,228,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 5fps 
Filmes: 4K 
Nível do Usuário: Expert
Apesar de ser pequena, e até passar meio que despercebida, em meio a outra CSCs do mercado, a série Alpha 7 da Sony conta com um sensor full-frame.
Isto na pratica significa que seu sensor tem o mesmo tamanho que um filme de 35mm, o que é um boa noticia para qualidade da imagem e para o controle da profundidade de campo.
O A7R II provou ser especialmente popular porque tem uma contagem de pixel de 42.2MP, assim que gera imagens enormes que têm toneladas de detalhes, e o ruído é controlado bem.
Junte tudo isto com a capacidade dela de captar filmes em 4K e outros recursos de nível profissional e terá um monstrinho nas mãos.
Pra fechar o pacote, ela conta com um excelente sistema de estabilização e tecnologias Wi-fi e NFC embutidas na própria câmera.
+ Grande qualidade de imagem
+ EVF de nível superior
– Precisa de um melhor sistema de autofoco
– O display não vira para todos os lados

4. Fuji X-T10

cameras mirrorless de 2016
O X-T10 torna acessível o incrível sistema X-mount da Fuji

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 16.3MP  
Visor: EVF 
Monitor: display de 3 poles com inclinação, 920,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Filmes: 1080p
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Se o papai Noel não tão generoso no orçamento, então você pode dar uma bela olhada neste criança aqui a Fuji X-T10.
Compartilhando muitos dos recursos presentes na X-T1 e o estilo DSLR retro dela fazem dela uma ótima opção pro seu bolso e para suas fotos.
Conta com uma ótima qualidade de imagem e modos de simulação de filme, coisa que a Fuji faz muito bem.
Nele não estão presentes recursos com resistência a interpretes, e o EVF é bem menor do que de sua irmã mais rica.
A lente que vem no kit é uma 16-50mm muito boa por sinal, e caso queira pode substituir por uma 18-55mm com mais alguns trocados.
E como já sabido, a Fuji tem uma gama enorme de lentes, tanto as prime quanto as zoom.
Isso não é esquecer a gama crescente de Fuji de lentes premium, prime e zoom.

5. Panasonic Lumix G80 / G85

Grandes recursos espremidos em um corpo pequeno

Tamanho do sensor: Micro Four Third 
Resolução: 16MP 
Visor: EVF
Monitor: Visor de 3.0 polegadas, 1.040.000 pontos 

Taxa máxima de disparo contínuo: 9fps 
Resolução de vídeo máxima: 4K
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Embora não seja muito perfeita, a G80 (G85 nos EUA) trás um belo conjunto de recursos e desempenho o que a torna um opção muito atraente no mundo das câmeras mirrorless.
Com um sistema de autofoco muito bom, mesmo quando esta fotografando assuntos em movimento, e um sistema de estabilização primoroso tornam esta criança uma seria concorrente.
A qualidade de imagem é boa, e seu filtro highpass faz um diferença positiva nas fotos de um forma geral.
Contando com um bom EVF e um bom visor em LCD a G80 e uma boa quantidade de lentes disponíveis esta criança pode te conquistar.
+ Visor touchscreen
+ Ótimo video, principalmente em 4K
–  Apenas 16MP
– Interface poderia ser melhor

6. Fuji X-Pro2

cameras mirrorless de 2016
Estilo clássico abriga uma pilha de recursos destinados ao fotógrafo entusiasta

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 24.3MP 
Visor: EVF & óptico 
Monitor: display de 3,0 polegadas, 1,620,000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Resolução de vídeo máxima: 1080p 
Nível do Usuário: Expert
A X-pro2 foi projetada para aquele fotografo que gostas de câmeras pequenas, mas sem perder a qualidade.
Usando um sensor de 24.6MP, o mesmo sensor da Fuji X-T2, mas com um autofoco não tão eficiente assim, fazem dela uma capaz de agradar a quase todos.
A Xpro-2 conta com um sistema EVF exclusivo, o Advanced Multi Viewfinder, que é um visor viewfinder padrão das câmeras mirrorless da marca, mas também conta com um visor ótico tipo rangefinder.
Tem um preço um pouco salgado, US$1600,00, mas você será bem recompensado na hora de carregar ela pra cima e pra baixo alem da experiência de fotografar atreves do rangefinder, o que pode ser bem divertido.
+ Bonita
+ Viewfinder muito inteligente
– Display fixo
– Preço

7. Sony Alpha A6300

cameras mirrorless de 2016
Esqueça todas as preocupações sobre o foco lento com este pequeno belezinha

Capacidade do sensor: APS-C 
Resolução: 24.2MP  
Visor: EVF 
Monitor: tela com 3 polegadas e com inclinação, 921,600 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 11fps 
Filmes: 4K 
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
Se você ainda esta procurando uma câmera pequena, mas que trabalhe igual a gente grande, talvez aqui esteja a solução.
A A6300 parece ser a resposta da Sony aos sistemas de autofoco das câmeras DLSR, ditos sempre como mais rápidos e superiores, o sistema de autofoco desta criança aqui é impressionante.
Apesar do sensor APS-C ser um pouco pequeno para alguns fotógrafos, ele sempre será a escolha mais lógica em uma câmera que tem que ter tamanho reduzido. E nesta câmera ele faz um belo trabalho.
Ela inda conta com tecnologias NFC e Wi-Fi onde você pode compartilhar as fotos direto da câmera para seu celular por exemplo.
+ Sistema de auto foco
+ Ótimo viewfinder
– Tela sem touchscreen
– Tela não virá para todos os lados

8. Olympus Pen-F

cameras mirrorless de 2016
Elegante estilo retro em parceria com uma série de recursos criativos

Tamanho do sensor: Micro four thirds 
Resolução: 20MP 
Visor: EVF 
Monitor: display touchscreen de 3,0 polegadas, inclinação variável, 1,037,000 pontos |
Taxa máxima de disparo contínuo: 10fps 
Filmes: 1080p 
Nível de usuário: Intermediário / especialista
Seguindo o design clássico das Pen-f da década de 60,e este é o máximo de proximidade que eles tem em comum fora o fato de serem câmeras fotográficas.

Contando com um belo sensor MFT de 20MP e indo no caminho diferente das antecessoras da série Pen, que não tinha viewfinder, a versão Pen-F conta com um belo EVF integrado.
O sistema de estabilização também foi remodelado e agora conta com 5 eixos de estabilização para combater qualquer tremida na câmera.
Oferece um ótima quantidade de recursos e personalizações alem de contar com conectividade Wi-Fi.
+ Ótimo visor
+ Design e qualidade de construção
– Cara
– Botão são pequenos

9. Panasonic Lumix GX80 / GX85

A GX8 despojada.

Tamanho do sensor: Micro four thirds 
Resolução: 16MP 
Visor: EVF 
Monitor: touchscreen com 3 polegadas, 1,040,000 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 8fps 
Resolução de vídeo máxima: 4K
Nível de Usuário: Iniciante / Intermediário
A GX80 da Panasonic é uma aposta da marca, que se a linha da já conhecida GX8, só que com muitas melhorias.
Trouxe um EVF fico com resolução bem melhorada, mais um sensor com mais resolução poderia ser adicionado, hoje conta com 16MP e o filtro AA foi removida pra ter uma melhoria na qualidade de imagem.
Agora a GX80 também pode filmar em 4K, e com capacita de captar imagem de 8MP a partir das imagens gravadas.
O manuseio é meio problemático, mas com um autofoco rápido, um corpo compacto e um boa combinação de lentes junto com uma bela capacidade de filmes em 4K fazem você esquecer um pouco que a câmera é ruim de usar.
+ Ótimos recursos pelo preço 
+ Autofoco consistente
– Ergonomia poderia ser bem melhor
– Não usa o sensor mais recente 

10. Sony Alpha A7 II

cameras mirrorless de 2016
Uma maneira mais acessível para ir full-frame com um sistema de câmera mirrorless

Tamanho do sensor: Full-frame 
Resolução: 24.3MP 
Visor: EVF 
Monitor: tela de 3 polegadas com inclinação, 1,228,800 pontos 
Taxa máxima de disparo contínuo: 5fps 
Filmes: 1080p 
Nível de usuário: Intermediário / especialista
Mesmo não tendo a mesma resolução que sua irmã mais cara, a Sony A7RII, a A7II não faz feio quando o assunto é profundidade de campo.
Isto por conta também do sensor full-frame, o que te trará muito alegria na hora de destacar o assunto e borrar o fundo ao mesmo tempo.
Como já era de se esperar esta geração erda muitos dos recursos aplicados nas irmã mais caras, como corpo em magnésio  por exemplo.
Tudo isto junto com o sistema de autofoco de 5 eixos das com que este seja mais uma grande concorrente aqui.
+ Ótima qualidade de imagem
+ Sensor full-frame por um ótimo preço
– Precisa de autofoco melhor
– Gasta muita bateria 

E você qual você acha que é a melhor câmera mirrorless de 2016? Deixe sua sugestão ai nos comentários.

Veja também a melhores Mirrorless de 2017 aqui

 

Gostou do artigo considere compartilhar em sua redes sociais e ajude o blog!

Categorias
Uncategorized

Como CRIAR e SALVAR presets no LIGHTROOM

No video desta semana você vai aprender como criar e salvar presets no Lightroom. A forma mais fácil e rápida de editar múltiplas fotos e economizar muito tempo na hora da edição.

Como CRIAR e SALVAR presets no LIGHTROOM

Salvar presets no Lightroom pode te ajudar muito na hora de editar fotos que tenham sido tiradas no mesmo esquema de iluminação e que precisem de ajustes parecidos.
Neste tipo de cenário saber como usar presets, e principalmente como salvar presets no Lightroom irá te poupar muito tempo. Você pode optar por sincronizar a edição, o que ja ajuda bastante, mas também pode deixar o preset salvo para futuras edições.
Então saber como salvar presets no Lightroom é um conhecimento indispensável para qualquer um que usa o programa.

Categorias
Dicas de fotografia Flash e Iluminação

Unidade de flash com ótimo custo beneficio

Aventurar-se no mundo do flash, e disparadores via rádio pode te levar a uma grande confusão mental, principalmente hoje com uma enorme quantidade de opções de unidades de flash e disparadores no mercado, e isto tudo alem de assustador pode ser potencialmente caro.

Então hoje vou tentar clarear um pouco o céu com sorte você não vai estourar seu orçamento de final de ano.

Unidade de flash com ótimo custo beneficio

Unidade de flash

Para o fotografo iniciante absoluto, há uma pergunta muito importante que você deve se fazer e que ajudará a determinar em qual equipamento você vai gastar seu dinheiro.

Você quer que seu sistema ofereça toda a automação possível e que facilitará sua vida ou você esta disposto a fazer um caminho um pouco mais difícil que te obrigará a aprender mais sobre como funciona a luz mas também te trará ótimos resultados?

Se você esta disposto a seguir o caminho um pouco mais comprido, e aprender muito durante ele, provavelmente as unidades de flash manual serão sua escolha lógica.

Neste tipo de unidade você tem que fazer quase todo o trabalho, que não é muito, e por conta disto você provavelmente irá economizar uma bela grana.

Se você nunca teve uma unidade de flash disponível, e não vale o da própria câmera, você provavelmente irá optar por um que tenha um preço que caixa no seu bolso.

De forma quase instantânea todos os iniciante, e muito profissionais, são atraídos pelos preços da marca Yungnuo.

Unidades de Flash Manuais

É indiscutível que os preços deles são muito atrativos e você provavelmente vai querer ter uma unidade de flash dele em sua mochila, e a unidade que vem a mente é o Yn-560-IV.

Unidade de flash

Esta unidade de flash é muito versátil,  vem construindo som um receptor de radio imbuído, o que já te economiza algum dinheiro, e pode ser acionado remotamente por transmissores da marca, que também não tem custo alto.

Você pode por exemplo acionar o Yn-560-IV via transmissores RF-602 ou RF-603, além de ser possui acionar o flash remotamente com um transmissor YN-560-TX e manipular que todas as configurações do flash.

Unidade de flash

O YN560-IV tem nativamente a capacidade de controlar outros flash de mesmo modelo ou da geração anterior, os YN560-III, mas o custo do YN560-TX é bem mais vantajoso para o propósito.

Unidade de flash

Uma unidade flash que merece ser lembrada aqui é o Godox VING V850, que tem duas versões o V850 e o V850II, e a grande vantagem dele em relação aos concorrente é o fato dele não usar pilhas.

Quem fotografa com flash sabe o quanto é frustrante ter um trabalho pra fazer e não achar pilhas ou ter suas pilhas totalmente descarregadas.

A seria V850 da Godox usa uma bateria de Lithium que vai te garantir uma bela tranquilidade na hora de fotografar, mesmo quando comparado a pilhas recarregáveis.

Então se você esta procurando uma unidade de flash com baixo custo vale muito a pena da uma olhada neste meninos ai. Apenas para você tem uma ideia de preços;

Uma da unidade s de flash mais vendidas da Nikon é o SB-700 com um custo de R$ 1800,00 aproximadamente.

Ja o concorrente do Sb-700, de certa forma, é o YN565EX com um custo de menos de R$500,00, acho que sim vale a pena o teste.

Unidades de flash TTL

Caso você não queira dificultar um pouco vida e seguir o caminho mais fácil na hora de escolher uma unidade de flash externa a melhor o opção pra você são os flashes com tecnologia TTL.

TTL é uma sigla para through the lens, através da lenteEstas unidades de flash se comunicam com o corpo de sua camera a fim de determinar quais serão os melhores ajustes para registrar determinada foto.

No mundo real, muitos fotógrafos acham que o TTL mais atrapalha do que ajuda, mas é tudo uma quanto se saber usar a ferramenta disponível na hora conveniente para chegar em bons resultados.

Definitivamente uma unidade de flash com sistema TTL te economizará tempo para fazer certas fotos por conta dos ajustem de exposição automatizados.

E em se falando debaixo custo temos como exemplo as unidade YN-568EX II da Yongnuo e o TT685 da Godox.

Unidade de flash

Os dois com custo bem tentador, a unidade de flash da Yungnuo comum custo de cerca de R$ 500,00 e o flash da Godox cerca de R$600,00.

Definitivamente são duas ótimas opções ao famoso Nikon SB-910 que custa incríveis R$3200,00.

Estas unidades de flash também te oferecem recursos incrivelmente úteis como High speed sync, sincronização de alta velocidade.

Que permite que o flash trabalhe acima da limitação normal do obturador.

Este tido de unidade de flash pode disparar em 1/4000 de segundos.

Um grande inconveniente para o YN-568 II é que ele é produzido apenas com sistema de disparo ótico.

Dispare a longas distancias

Uma forma muito eficaz de resolver este problema é usar uma sistema de disparo do flash pode radio.

E aqui temos grandes opções, quando falamos de TTL, você pode optar por um transmissor da Yongnuo o YN622, que é bem legal.

Ou se você quiser da um passo a frente você pode investir seu dinheiro em um Godox X1, que é um ótima opção.

Unidade de flash

O Godox X1 esta disponível tanto para quem usa Nikon, Canon ou Sony, e pessoalmente acho o design dele mais legal do que o Yn622.

Além do fato que ele pode disparar outras unidade de flash ou monolights da Godox.

Unidade de flash

E você é do tipo que pretende expandir seu equipamento de iluminação em um futuro e usar sistema TTL provavelmente sua melhor opção de compra para uma disparador de flash é o X1 da Godox. (X1-N = Nikon / X1-C = Canon / X1-S= Sony).

Veredicto

Nem todas as unidades de flash são tão baratas quanto as das Yongnuo, Neewer  ou Godox.

Estas são apenas algumas marcar que citei mas existem outras no marcado com custo e qualidade bem equivalentes e que merecem totalmente a chance de serem postas a prova.

Cabe a você decidir almas coisas antes de escolher quanto e onde vai gastar sua grana. Então antes de decidir quais equipamento comprar veja alguns pontos.

Veja se você realmente precisa de determinados recursos que o aparelho oferecem, tais como o TTL.

Procurei imaginar seu futuro e ver se o que você esta comprando irá ser úteis, ou compatível, com equipamentos que você pretende ter.

Não esquece de pesquisar sobre as compatibilidade, ou a falta dela, caso escolha um disparador da marca X e o uma unidade de flash da marca Y.

Independente de qual plataforma de equipamento você escolha, tenho certeza que ter uma ou mais unidades de flash irão mudar como você vê a foto fotografia.

Duvidas, sugestões e qualquer outra coisa pra falar, deixei su comentário.

Se gostou do artigo considere compartilhar em suas redes sociais e ajude o blog!

Categorias
Tutoriais

O que é um Stop? E pra que serve!

O que é um Stop? Ele é a mesma coisa que f-stops? Como são medidos? São contados da mesma forma para diferentes ajustes de exposições? São úteis?
Estas são provavelmente as perguntas mais comuns para quem esta começando no mundo da fotografia. E são ótimas perguntas, até porque todos os conceitos de uma boa exposição podem deixar qualquer bem confuso.
Para aqueles que já foram apresentados ao termo a informação de que um Stop pode significar o dobro ou a metade da luz procede.
Mas provavelmente nunca te foi dito como tudo isto funciona em relação aos ajustes de câmera.
Este artigo tem por fim te mostrar como o conceito de Stop serve como uma moeda comum para a exposição, e permite que você a controle totalmente.
E que esta moeda é bem mais simples do que você imagina, por se tratar de uma ferramenta de simplificação de pensamento.

Do começo. O que é um Stop? E pra que serve!

Estou usando o termo “moeda comum” para descrever o que são Stops. E para ilustrar melhor a analogia vamos imaginar que estamos falando de grana.
Se você vende galinhas, eu vendo maçãs, e outra pessoa vende tijolos, como todos nós nos entendemos na de fazermos negocio.
E se a pessoa que vende os tijolos não valorizasse suas galinhas tanto quanto eu?
Com certeza tudo viraria uma grande bagunça. E dai conceito de grana surgiu.
Com este conceito, de moeda comum, aplicado agora todos podemos valorizar nossos itens baseados neles.
E como bem sabemos não é de hoje que dependendo do conceito de grana, pra mais de um aspecto de nossas vidas.
Da mesma forma que entramos em um impasse com tijolos VS galinhas, na fotografia temos um impasse entre o tamanho da abertura VS o tempo do obturador pro exemplo.
Ou como valorizar estes dois em relação a sensibilidade do nosso sensor, ou filme, a luz?
Não é toa que aqui entra o conceito de moeda comum, ou Stops, que vai equilibrar tudo!
Stop fotografia

Esta tudo isto como uma pré condição pra domina sua câmera e controlar sua exposição.
Entender isso é uma pré-condição necessária para dominar a câmera e controlar o processo de exposição.
Esperemos que isso irá ajudá-lo a compreender melhor seus controles de exposição. Primeiro, vamos dar uma breve olhada em cada um deles e mostrar como eles são medidos em paradas. Depois disso, vamos começar a usá-los juntos.

Shutter Speed (Obturador)

A velocidade do obturador é uma medida de tempo. Como você provavelmente já sabe, quando você abrir o obturador, a câmera está recolhendo, recebendo, luz direto no sensor ou filme.
E ver melhor como ele funciona sugiro que leia este artigo aqui;
Stop fotografia

Os segmentos neste gráfico são incrementos de 1 Stop. Novamente, um Stop refere-se a permitir que o dobro da luz entre, ou corte-a pela metade.
Lembre-se de que a velocidade do obturador é uma medida de tempo, então a duplicação do tempo em que o obturador está aberto é a mesma coisa que uma duplicação da luz.
Portanto, por exemplo, um movimento de 1 / 250th de um segundo para 1/125 é uma mudança de um Stop.
Você duplicou o tempo que o obturador está aberto, assim você também duplicou o valor de exposição.
Algo que pode confundi-lo é que sua câmera não altera as configurações (cada clique do seu dial) em incrementos de 1 ponto.
A maioria das câmeras está configurada para se mover em incrementos de 1/3 de ponto. Então, ao invés de passar de 1/250 para 1/125, cada clique do dial em sua câmera irá mover apenas parte do caminho.
E dependendo de como sua câmera esta configurada pode demorar até 3 cliques no dial para chegar a 1 Stop completo.

Aperture (Abertura)

Agora vamos olhar para isso no conceito de abertura. Como você provavelmente sabe, a abertura é o buraco na lente que permite a luz através da câmera, e que ele é ajustável.
Fazendo com que o buraco fique maior você permite que mais luz entre na câmera; E tornando ele menor você permite que menos luz entre.
As medições de abertura podem ser bem confusas. Pra começar, esta medição é realmente o tamanho da abertura em comparação a distancia focal, onde o F de uma lente é razão da distancia focal dividida pela diâmetro da abertura.
Isso faz com que seja uma relação ou figura recíproca, o que significa que quanto maior a abertura menor será a medição e vice-versa.
Em segundo lugar, diferentes lentes têm diferentes valores máximos e mínimos de abertura. Com isso em mente, aqui estão os valores de abertura mais comuns:
Stop fotografia

Novamente, lembre-se de que sua câmera provavelmente está configurada para alterar os valores em incrementos de 1/3 de Stop.
Assim, por exemplo, sua câmera não vai diretamente de f / 5.6 para f / 8.0. Em vez disso, ele provavelmente irá de f / 5.6 para f / 6.3 depois  f/7.1 e então  f / 8.0, enquanto você clica no dial.
Estou ignorando o conceito de profundidade de campo aqui porque não é importante para os propósitos desta discussão.
Tudo o que importa agora é converter essas medições em Stops. Logo, o que fizemos aqui é converter uma medida de tamanho em uma Stops.
Isso significa que podemos facilmente compará-lo com as mudanças de velocidade do obturador como vimos acima. Também seremos capazes de compará-lo com as mudanças no ISO.

ISO

Finalmente, chegamos ao ISO, nosso terceiro controle de exposição. Esta é uma medida da sensibilidade do sensor digital da sua câmera à luz.
Torná-lo mais sensível à luz aumenta a exposição, mais também pode elevar o nível de ruídos  em sua fotos.
E o contrario é totalmente valido, diminuindo o ISO diminui-se a sensibilidade do sensor assim como o nível de ruído.
Aqui estão os valores ISO comuns em incrementos de 1 Stop:
Stop fotografia

Como você pode ver a partir do gráfico acima, a capacidade de mudar ISO é bastante limitada.
Considerando que há 18 paradas dentro da faixa de velocidades comuns do obturador, no ISO existem apenas sete
Hoje no mercado existem câmera que conseguem tem um ajusto de ISO em níveis astronômicos, como ISO 12.800, 25.600 ou até maior.
Porém em sua maioria elas acabam trazendo muito ruído para as fotos, principalmente em ajustes acima de ISO 3.800.
De qualquer forma agora todos os ajustes falam a mesma liga, STOPS, então assim fica muito mais fácil traduzir para cada ajuste o que você precisa.
E diferente da abertura, entender o ajuste do ISO em stops é muito mais simples, logo, se tenho ISO 100 e quero subir um Stop basta colocar em ISO 200, e assim por diante.

Hora da verdade, colocar tudo junto

Agora que você já esta familiarizado com o conceito de Stop para cada ajuste da exposição,  que tal por todo mundo junto.
Agora que nós cobrimos o conceito de paradas para cada um dos três controles de exposição, estamos prontos para falar sobre eles juntos.
A chave para entender aqui é que 1 Stop, é 1 Stop e pronto. Ele valera igual para a abertura, velocidade do obturador ou ISO.
Dito isto, subir um Stop na velocidade do obturador é a mesma coisa que abrir sua abertura em um Stop, que por sua vez é a mesma coisa que aumentar o ISO em 1 Stop.
Mais por que saber o que é um Stop é tão importante?
Bom a resposta é simples, por absolutamente todo vez que você for fotografar você vai ter que ajustar sua câmera. E saber esta regra simples vai te permitir maior controle sobre sua exposição.

Um belo exemplo:

Você quer aumentar a profundidade de campo, e par isto você sabe que precisa de uma abertura menor. Só que escolhendo uma abertura 2 Stops mais estreita isto sua imagem fica  sub-exposta.
Usando o conceito de Stop basta ir até o ajuste do obturador e permite que mais luz entre, ou seja diminuir a velocidade em 2 Stops, e pronto. Só que agora a sua imagem ficou borrada, por conta do shutter muito lento.
Logo, você pode voltar o obturador ao ajuste que estava e usar um ajuste de 2 Stops no ISO para resolver o problema, ou ainda ajustar 1 Stop em cada um deles, obturador e ISO.
Bom é isto ai!
Deixe seu comentário ai embaixo!

Categorias
Dicas de fotografia

Tome o controle de sua camera para melhorar suas fotos.

Você ainda está usando principalmente o modo Auto na sua câmera, e esquecendo de melhorar suas fotos?
Sim, é uma boa maneira de começar se esta é a sua primeira DSLR, mas mais cedo ou mais tarde você vai notar que suas imagens parecem medianas e você não está fazendo qualquer progresso.
Então é hora de sentar e aprender um pouco mais sobre os Modos de fotografia que sua câmera sempre teve e que vão te ajudar a fotografar melhor.

Tome o controle de sua câmera e melhore suas fotos.

melhorar suas fotos

P: Modo Automático do Programa (Auto)

 
Talvez o melhor lugar para começar a se familiarizar com sua câmera e o que ela pode fazer seja o modo automático.
E muitas câmera além de dispor do modo totalmente automático, a camerazinha verde,  ainda dispõem de modos programados, dentro do modo automático.
Este modos pré programados lhe permitem escolher o tipo de cena que você esta fotografando, permitindo que você faça ajustes em alguns parâmetros das configurações.
Você pode escolher por exemplo se o flash irá funcionar ou não, se vai trabalhar com ISO automático ou manual e escolher também o balanço de branco.
Definitivamente usar o modo de programas automáticos da câmera é bem divertido e uma boa forma de aprender a usa-la.
Mas se você quer melhorar suas fotos definitivamente você tem que saber quais são e para que servem os outros modos de operação de sua câmera.

Av (ou A): Modo Prioridade de Abertura (Aperture)

melhorar suas fotos
Quando você deseja ter controle total sobre a abertura em sua lente (e, portanto, também controlar a profundidade de campo), este é o modo de usar.
Ele permite que você ajuste a abertura de sua lente, e o modo de ajuste pode variar de câmera pra câmera, e o restante dos ajuste fica por conta da própria câmera.
Velocidade do obturador e ISO vai ser ajustados automaticamente pelo câmera fazendo assim com que você sempre tenha um exposição equilibrada.
Quando temos uma boa condição de iluminação este modo é o modo que  você gostaria de experimentar.
Você terá controle sobre plano a ser fotografado, usando uma abertura estreia para deixar tudo em foco ou abertura maiores assim separando os planos, primeiro plano em foco e fundo desfocado por exemplo.
Mas quando temos uma situação de baixa iluminação, e não dispomos de nenhum flash, a câmera escolhera uma velocidade de obturador muito lenta, fazendo com que as fotos possam sair borradas.
Ou mesmo, escolher uma ajuste de ISO muito alto trazendo muito ruído para sua foto. Em algumas vezes você irá querer tomar conta do ajuste de ISO para diminuir a quantidade de ruído.

Tv (ou S): Modo de prioridade do obturador (Shutter)

 
melhorar suas fotos
Muito parecido com o modo AV o modo TV, ou S em câmeras Nikon, deixa você escolher a velocidade do obturador.
E outros ajuste como abertura e ISO ficam por conta da câmera, e novamente são automaticamente calculados pra obter uma exposição equilibrada.
Este modo é particularmente usei quando você vai fotografar uma cena com bastante ação, uma cena rápida onde você precisa congelar os movimentos.
Podendo definir a velocidade do obturados você consegue escolher a melhor velocidade para a cena, evitando desta forma fotografias borradas.
O restante dos valores, ISO e abertura, fica por conta da câmera, e vale a pena tomar cuidado com ambiente muito escuros, pois a câmera pode escolher um ajuste de ISO muito alto.
A maioria da DSLR podem disparar muito rápido, cerca de 1/4000, o que já é ótimo pra congelar qualquer movimento.
Uma outra opção é trabalhar na outra ponta, com uma velocidade de obturados muito lenta, e usando light painting.
Este técnica é muito usado para fotografias de longa exposição, e pode salvar sua vida em situações onde você tem tempo e pouca iluminação.

Modos de Programação Predefinidos (Preset Mode)

melhorar suas fotos
 
Algumas câmeras contam com modos de operação muito bons no sistema de ajustes pré definidos.
Eles são os ajustem que geralmente aparecem com figurinhas em seu dial de controle, então se você precisar de uma fotos de paisagem por exemplo, vale apenas testar o ícone da montanha.
Ou quando você esta vendo uma partida de futebol, use os ajustes de pessoas em ação e sua câmera ajustes de velocidade do obturados mais rápidos afim de congelar os movimentos.
Algumas câmeras tem um ajuste que se chama A-Dep, é um modo completamente automático que permite escolher dois pontos (em primeiro plano e fundo).
Muito usado para quando você não sabe que abertura usar, pois a poria câmera definirá abertura baseando no que você quer em foco e no que você quer fora de foco.
è um ajuste bem divertido, apesar nem sempre funcionar perfeitamente na pratica.
Outro ajuste que você sempre tem que ter em mente e o ajuste do Raio, com ou sem flash, em situação de baixa iluminação a utilização de um flash pode definir o sucesso de sua foto.
Agora que você já sabe para que serve quase todos os modos de operação de sua câmera, é hora de treinar, fotografa compara e compartilhe!
Deixe seu comentário e siga a gente no Facebook!

Categorias
Novidades na fotografia

Capture One Pro 10 promete uma edição de imagem mais rápida, precisão na revisão de fotos

Foi há um ano que a Phase One anunciou a versão anterior do Capture One, mas hoje conhecemos o Capture One Pro 10.

Capture One Pro 10 promete uma edição de imagem mais rápida

Com uma versão totalmente nova e uma variedade de novos recursos, incluindo algumas atualizações bem bacanas na interface, e um novo sistema de nitidez surge no mercado o Caoture One 10 PRO.

Além de muitas novidades a versão 10 do software conta com um novo suporte a inúmeras camarões e lentes, parte que também recebeu um belo uptade na versão 10 do Capture One.

Quando comparado com a versão anterior ele parece estar bem mais esperto, as atualização de velocidade estão funcionando muito bem.

Talvez esta melhora no desempenho se de por conta da nova interface que foi redesenha e esta mais leve e simples, mais ainda muito funcional.

A maior novidade talvez seja a inclusão de um sistema de nitidez, Sharpness, em três etapas, uma bela novidade no Capture One 10 Pro.

Uma ferramenta que ajuda o usuário a combater a difração, que trabalha quase que sozinha. Uma área de nitidez criativa, que tem parâmetros definidos pelo usuário.

E para fechar temos as opções de nitidez para finalização das fotos, impressão ou web.

Novo recurso

Um novo recurso muito bacana é o recurso de revisão das fotos, ele permite que o usuário veja na tela as imagens finalizadas, ou seja, exatamente da forma que elas serão exportadas.

E quem se utiliza de softwares de pro produção sabe que não é incomum que durante a edição o arquivo RAW praça um pouco diferente do arquivo que foi exportado.

E com este recurso novo no Capture One pro 10 você com certeza vai economizar sua paciência e limitar suas frustrações.

Para usuários que já utilizavam o Capture One Pro 8 ou 9 a atualização para a versão 10 sai US$99,00, e para cliente novos o custo da licença é de US$299,00.

Caso a carteira esteja em baixa você pode optar pelo plano de assinatura mensal, com um custo de US$15,00 em um plano de 12 meses.

Com certeza o lançamento do Capture One e do Macphun Luminar são novidades interessante no mundo da edição / pós produção de fotos. Resta saber quem é que vai fazer mais frente a gigante Adobe e ao Lightroom.